A cada cinco horas, Brasil ganha um novo município em emergência ou calamidade pública

Nos últimos dias as atenções de parte da população da Região Norte do Brasil estão voltadas para o Acre e o Amazonas que enfretam situações emergenciais ocasionadas pela cheias dos rios e os danos às populações ribeirinhas, em especial. O Portal UOL  – http://www.uol.com.br/ – divulgou em 26 de fevereiro uma matéria sobre as ações de Defesa Civil e a decretação de situação de emegência ou calamidade pelas prefeituras. 

Nos últimos cinco anos, um município brasileiro decretou situação de emergência ou estado de calamidade pública a cada cinco horas. É o que aponta levantamento feito pelo UOL, com base nos dados da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec) entre 2007 e 2011. Ao todo foram 8.442 portarias publicadas no “Diário Oficial da União” nesses cinco anos. Somadas aos 729 decretos já publicados este ano, o número supera a marca das 9.000 portarias, com a média de 4,8 decretos por dia. Leia mais »

RR – La Niña faz temperatura cair no Estado

Boa Vista tem registrado nos últimos dias uma variação no clima. Apesar do período seco, desde o feriado prolongado de Carnaval que os termômetros têm marcado temperaturas amenas na capital, chegando a 23°, o que para o roraimense é o bastante para sentir frio.   Leia mais »

Aquecimento dos oceanos influencia queimadas na Amazônia, diz estudo

Cientistas norte-americanos desenvolveram uma metodologia que prevê com pelo menos seis meses de antecedência se o período de queimadas na floresta amazônica será grave a partir da medição da temperatura dos oceanos Pacífico e Atlântico.

O estudo, publicado nesta quinta-feira (10) pela revista “Science”, analisou dez anos imagens do satélite Modis, da Agência espacial norte-americana (Nasa) e utilizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para analisar o desmatamento do bioma e os focos de calor que atinge a floresta em tempo real.

Aquecimento dos oceanos

Leia mais »

Círculo vicioso

Todo ano a história se repete, parece um círculo vicioso onde os fatos às vezes retrocedem ou avançam, mas tudo é sempre igual. O assunto em questão é a velha prática das queimadas, mais precisamente a queimada na área urbana. A baixa umidade do ar, que tem registrado índices de 24%, aliada à falta de responsabilidade de alguns já somaram desde o dia 15 de junho nada menos do que 137 ocorrências de incêndio na capital. Algumas vezes o número de ocorrências chega a 10 em apenas um dia. E estamos apenas no início do período de estiagem, o que nos faz crer que, pelo andar da carruagem, vamos ultrapassar logo, logo a marca de 2010 que foi de 312 focos de incêndio entre os meses de junho e outubro.

Leia mais »

Acre registra mais de 60 focos de queimadas na primeira semana de julho

O clima seco, deixado pela passagem de uma frente fria, aumentou o número de queimadas no Estado. Apenas na primeira semana de julho foram registrados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) 66 ocorrências, a maioria de origem urbana.

Leia mais »

Ibama intensifica ações de combate a incêndios florestais

Candeias do Jamari, há pouco mais de 20 quilômetros de Porto Velho, foi a primeira cidade a ser atendida pelo Ibama em Rondônia, que entregou equipamentos como bombas de água e abafadores, que serão usados para controlar os focos de incêndios.

Boa parte já está sendo usada, 13 brigadistas vão trabalhar no município e vieram preparados com roupas e acessórios especiais. “O maior desafio é conscientizar a população para não queimar”, afirma o brigadista Dionata Nascimento.

Leia mais »

Campo já sofre com queimadas

Equipe do Greenpeace registra queimada em Nova Ubiratã (MT)©Rodrigo Baleia/Greenpeace Mesmo antes da “temporada” das queimadas, que acontece normalmente entre julho e setembro, época da seca, as florestas – ou o que restam delas – já sofrem com as queimadas. No início de junho já havia a detecção de regiões afetadas pelo fogo. Em sobrevôo feito por uma equipe do Greenpeace, foi possível observar no estado do Mato Grosso focos de queimadas em grandes áreas recém-desmatadas.

O campaigner do Greenpeace Rafael Cruz relata que durante o sobrevôo foi possível ver focos de calor. “São queimadas provocadas, que tem como objetivo o plantio. Incêndio natural é muito pouco, residual. A grande maioria é provocado”. Leia mais »

Nasa mostra extensão da seca na Amazônia em 2010

Por meio de uma imagem de satélite, a Agência Espacial Americana, Nasa (sigla em inglês de National Aeronautics and Space Administration) mostrou o efeito devastador da seca recorde que atingiu, no ano passado, o bioma Amazônia.

Seca da Amazôniaem 2010 detectada pelo Google Earth. Imagem cortesia da NASA.

Leia mais »

Ibama treina brigada indígena para prevenir e combater incêndios florestais em Roraima

A mais nova brigada comunitária de combate a incêndios florestais no Brasil chama-se Turuka (Turucá) e é composta por indígenas da etnia macuxi, do extremo norte do estado de Roraima. Seu treinamento ocorreu na semana passada, ministrado por especialistas do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), do Ibama. O nome da brigada é uma homenagem a uma montanha vizinha criada pelo deus Macunaíma, segundo o lendário local.

Brigada Indígena

Leia mais »