MPF: fórum define audiência pública para debater reabertura da BR-319 em Careiro Castanho AM

12 de Abril de 2018  - Jaime de Agostinho

A proposta de realização de uma audiência pública no município de Careiro Castanho (a 102 quilômetros de Manaus), no dia 14 de maio, foi um dos principais resultados da sexta reunião do fórum permanente de discussão sobre o processo de reabertura da rodovia BR-319 (que liga Manaus a Porto Velho). 

Leia mais »

Resíduos de bananeira são eficazes no controle de parasitos do tambaqui

7 de Abril de 2018  - Jaime de Agostinho

Estudo realizado por pesquisadores da Embrapa Amazônia Ocidental (AM) comprovou que a utilização de subprodutos de bananeira (folhas, engaço e coração) na ração pode controlar o monogenea, um parasito que ataca as brânquias, estruturas usadas pelos peixes para respirar. A pesquisa pode impactar positivamente a produção do tambaqui (Colossoma macropomum), peixe nativo mais cultivado no Brasil, já que a doença causa redução de peso, lesões e até a morte. Além disso, representa benefícios para os piscicultores, que poderão economizar na aquisição de medicamentos anti-helmínticos, e para o meio ambiente, pois se trata de uma solução natural. A solução também promove agregação de valor aos resíduos da bananeira, usados hoje praticamente apenas como adubo.

O estudo faz parte de um projeto maior, liderado pela pesquisadora da Embrapa Cheila Boijink, voltado não apenas ao controle desse parasito, mas também ao desempenho zootécnico do tambaqui. Segundo a cientista, o peixe infectado fica estressado, gasta muita energia tentando se livrar do parasito e, consequentemente, perde peso. A presença do monogenea pode levar os animais à morte por asfixia, ou ainda provocar lesões facilitando a penetração de agentes secundários, como fungos e bactérias.

Matéria-prima abundante

Uma das vantagens de utilizar resíduos de bananeira é a grande disponibilidade no Brasil, pois a bananicultura é feita em quase todas as regiões, mesmo em condições ecológicas desfavoráveis. A banana é constituída por carboidratos, lipídeos, proteínas e vitaminas. Durante a produção, é gerada grande quantidade de massa verde, que além de nutritiva para alimentação animal, apresenta finalidades terapêuticas.

Uma delas é o alto teor de taninos em sua constituição, os quais apresentam atividade anti-helmíntica. Por isso, já são utilizados como antiparasitário na produção de ração para algumas espécies de animais, como suínos, bovinos e caprinos. “Isso nos incentivou a testar os resíduos da bananeira com os peixes”, conta Cheila.

O experimento foi feito durante 60 dias. O próximo passo da pesquisa, será avaliar se os resíduos de bananeira incorporados na ração desencadearam alguma alteração na fisiologia do peixe, devido principalmente à presença do tanino. “Estamos fazendo uma série de testes em laboratório com as amostras de material biológico coletadas no fim do período experimental”, informa a pesquisadora. 

Produção sem defensivos químicos

Os resíduos de bananeira utilizados no experimento foram coletados na propriedade de um produtor parceiro da pesquisa, sem o uso de defensivos agrícolas, o que confere maior veracidade ao uso do material. “Foi utilizada a cultivar [de bananeira] BRS Conquista, que é resistente a doenças, para impedir a interferência de produtos químicos na composição da farinha usada na ração”, explica Jony Dairiki, pesquisador da Embrapa e membro do projeto.

Os animais experimentais aceitaram as rações e o consumo foi satisfatório. Houve crescimento e foram observadas diferenças significativas entre os níveis de inclusão e os resíduos avaliados. De acordo com Dairiki, há poucos estudos com subprodutos de banana na alimentação de monogástricos, principalmente em aves e peixes. Os trabalhos existentes demonstram resultados satisfatórios em diferentes categorias animais, principalmente em ruminantes.

A utilização desses resíduos da agroindústria pode trazer benefícios para a composição das dietas, porém ainda são necessários estudos em monogástricos, como análises econômicas de consumo de nutrientes e de digestibilidade para indicar com precisão a eficiência da utilização desse subproduto. 

Piscicultura é atividade em franco crescimento

A produção de peixes cultivados vem apresentando maior taxa de crescimento em relação a outros produtos de origem animal. Isso se deve ao aumento do consumo de pescado pela população e, como a pesca apresenta limites para suprir a crescente demanda, a piscicultura tem ganhado importância.

Portanto, tecnologias devem ser desenvolvidas visando maior desempenho dos animais e melhores condições sanitárias, pois os cultivos comerciais trabalham com densidades mais elevadas do que as encontradas na natureza, facilitando a disseminação de parasitos e doenças.

A alimentação animal equivale a 70% dos custos da produção e as pesquisas têm se voltado para ingredientes alternativos que possuam alta palatabilidade, digestibilidade e valor nutricional. No entanto, a grande maioria dos alimentos testados para as espécies apresenta disponibilidade restritamente local e volume de produção insuficiente para sua incorporação pelas indústrias de ração, fazendo-se necessária a avaliação de ingredientes com maior potencial de utilização para a alimentação.

Produção do tambaqui

O tambaqui (Colossoma macropomum) é a espécie nativa mais cultivada no Brasil. Segundo dados de 2013 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção é de 88,7 mil toneladas, desse total, 55,7 mil t são provenientes da Região Norte e 11,6 mil t são oriundas do estado do Amazonas.

É uma espécie de fácil obtenção de juvenis, bom potencial de crescimento, alta produtividade e rusticidade. Apresenta bom desempenho em criações intensivas, podendo alcançar três quilos de peso em 12 meses de criação em sistemas de viveiros/barragens. Porém, nesses sistemas, os animais são expostos continuamente a vários fatores de estresse, como alterações na química da água, altas densidades de estocagem, manuseio excessivo e uso indiscriminado de drogas no tratamento de doenças.

Na Região Norte o cultivo do tambaqui é facilitado e vantajoso pelas condições climáticas locais. Diversos sistemas de produção vêm sendo propostos para o cultivo no Amazonas, dentre eles, os viveiros escavados, os viveiros/barragens, os tanques-rede e os canais de igarapé. Os melhores resultados têm sido obtidos em viveiros escavados com a utilização de aeração.

Produtividade do tambaqui no Amazonas

A produtividade média de tambaqui do estado do Amazonas é de cinco toneladas por hectare ao ano, considerada muito abaixo do potencial produtivo da espécie. A Embrapa disponibiliza tecnologias para produção intensiva de tambaqui em tanque escavado com aeração que, quando adotadas adequadamente, podem aumentar a produtividade em até quatro vezes, atingindo até 24 t/ha. Essa elevada produtividade por unidade de área com uso de teologias permite a produção em apenas um hectare do equivalente à produção de quatro hectares sem uso de tecnologias.

O aumento significativo na produtividade proporciona diretamente redução no desmatamento por precisar de menos áreas para manter a quantidade produzida. Outro ganho extraordinário proporcionado pela pesquisa foi a redução do ciclo de criação do tambaqui de três anos para apenas dez meses.

Maria José Tupinambá (MTb: 114/AM)
Embrapa Amazônia Ocidental

Telefone: (92) 3303-7898

 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/ 

aquiculturapisciculturanutriçãoraçãopeixe

 

Embrapa Cocais participa do III Amazon Soil 2018

28 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

De 27 a 31 de março, em Chapadinha-MA, ocorre a terceira edição do Amazon Soil, encontro de Ciência do Solo da Amazônia Oriental. O tema proposto para o evento é: “O solo e o seu papel na sustentabilidade dos agroecossistemas”. Estão previstas 13 palestras com pesquisadores de diversos estados do Brasil, além de apresentação de trabalhos científicos e uma visita técnica.

Leia mais »

Ibama licencia projetos prioritários de infraestrutura do Governo Federal

22 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

Primeiro viaduto para travessia de fauna do país, concebido no licenciamento do Ramal Ferroviário do Complexo S11D – Foto: Ibama

O Ibama conduz o licenciamento ambiental de 54 dos empreendimentos prioritários do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) do Governo Federal, criado para coordenar políticas de investimento em infraestrutura por meio de parcerias com o setor privado. Todas essas obras estão com o licenciamento ambiental em dia ou dependem de estudos a serem apresentados pelo empreendedor.

Leia mais »

Grandes projetos na Amazônia expõe a influência da China em violações socioambientais

20 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

Grandes obras de logística na Amazônia Legal, em pleno processo de implantação, mostram o peso da China na mudança da dinâmica econômica da região. A ferrovia Transoceânica, a Ferrovia Paraense e a Ferrogrão são alguns dos empreendimentos que, contando com financiamento chinês, mudam a paisagem da Amazônia, violam garantias fundamentais de povos indígenas e comunidades tradicionais, e ainda trazem impactos ambientais significativos.      

Leia mais »

Duas reservas extrativistas recebem treinamentos em manejo de açaizais nativos

19 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

A Embrapa Amazônia Oriental, em parceria com o Instituto Floresta Tropical (IFT), promovem quatro treinamentos em manejo de açaizais nativos em duas reservas extrativistas a partir desta quarta-feira (14), no arquipélago do Marajó. Essa tecnologia permite aumentar em até três vezes a produção de frutos por meio do estabelecimento de uma proporção adequada entre açaizeiros e outras espécies florestais numa mesma área.

Leia mais »

Embrapa Cocais apresenta diretrizes voluntárias para o manejo e conservação do solo e da água para produção de alimentos

17 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

Este mês, Brasília sediará o maior evento sobre recursos hídricos: o 8º Fórum Mundial da Água, que é realizado pela primeira vez no Hemisfério Sul e tem como tema ‘Compartilhando Água’. O fórum acontecerá de 18 a 23 de março de 2018, no Centro de Convenções Ulisses Guimarães e no Estádio Nacional Mané Garrincha. Espera-se a participação de 10 mil inscritos de 160 países, além de cerca de 45 mil pessoas, contando o público que circulará pela Vila Cidadã, um espaço de entretenimento e educação gratuito e aberto à população. 

Leia mais »

Evento agregou parcerias em projeto da Embrapa sobre aquicultura

12 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

Nos dias 7 e 8 de março, aconteceu na sede da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO) workshop com diversas instituições, públicas e privadas, que trabalham com aquicultura no país. Os objetivos centrais foram discutir e encaminhar parcerias para a execução do BRS Aqua, projeto de pesquisa, desenvolvimento e transferência de tecnologia na área que a Embrapa está coordenando e que conta como principal financiador o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Além do banco, financiam a Secretaria Especial da Aquicultura e da Pesca (Seap), ligada à Presidência da República, e a própria Embrapa.   

Leia mais »

Pesquisa analisa importância dos peixes amazônicos na ciclagem de nutrientes

2 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

Resultados da pesquisa poderão impactar em termos de sustentabilidade de serviços ambientais. As substâncias químicas eliminadas pelos peixes denominadas como excretas são a base de uma pesquisa científica que investiga a importância dos peixes amazônicos para a ciclagem de nutrientes. 

Leia mais »

Feirão do Produtor Rural do Inpa capacita produtores de guaraná orgânico de Maués

31 de Janeiro de 2018  - Jaime de Agostinho

Mais de 1.500 produtores rurais já foram capacitados ao longo de dois anos pelo Projeto Feirão do Produtor Rural. O curso utiliza o método participativo com as comunidades.

Foto: Acervo Ascom Inpa

Leia mais »

Ação conjunta apresenta trabalho com PANC na Guiana Francesa

31 de Janeiro de 2018  - Jaime de Agostinho

Apresentar o trabalho que vem sendo realizado no Brasil e trocar experiências acerca das hortaliças tradicionais, que vêm sendo mais frequentemente denominadas como Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC), foram os principais objetivos da viagem à Guiana Francesa, realizada no período de 14 a 20 de janeiro de 2018, empreendida pelo pesquisador Nuno Madeira, da Embrapa Hortaliças (Brasília, DF), em missão conjunta com o professor e botânico Valdely Kinupp, do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) e com o professor e gastrólogo Michel Abras (Senac-MG).

Leia mais »

Evento apresenta 11 cultivares de soja para Roraima

27 de Janeiro de 2018  - Jaime de Agostinho

Unidade DEmosntrativa em área de produtor com 11 cultivares de soja recomendadas par Roraima

A Embrapa Roraima realizará neste sábado (27/01) Visita Técnica à Unidade demonstrativa em área de produtor com objetivo de apresentar 11 novas variedades de soja da Embrapa para o estado de Roraima. O evento acontecerá na Fazenda Livramento – Rodovia BR 401, das 8h às 12h e tem como público-alvo produtores, engenheiros agrícolas, agentes públicos e lideranças ligadas ao agronegócio. 

Leia mais »

Representante da FAO Brasil fala no Inpa sobre erradicação da fome na 50ª Reunião do Geea

25 de Janeiro de 2018  - Jaime de Agostinho

“A discussão com o representante da FAO no Brasil foi relevante e fecha com chave de ouro os dez anos de criação do Geea, disse do diretor do Inpa, Luiz Renato de França.

Leia mais »

Brasil tem condições de reduzir até 48% das emissões até 2050, de acordo com ONU Meio Ambiente e governo

24 de Janeiro de 2018  - Jaime de Agostinho

O dado é do estudo “Trajetórias de mitigação e instrumentos de políticas públicas para o alcance das metas brasileiras no Acordo de Paris”, uma das publicações que será lançada hoje, 24, pela ONU Meio Ambiente e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em Brasília.

Leia mais »

MPF e Funai dialogam sobre linhas de atuação em defesa dos índios em 2018

17 de Janeiro de 2018  - Jaime de Agostinho

O vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, visitou nesta terça-feira (16) o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Franklimberg de Freitas, para apresentar as preocupações do Ministério Público Federal (MPF) com relação às causas indígenas. Durante o encontro, Luciano Maia destacou dimensões comuns de lutas das duas instituições, no marco das celebrações dos 30 anos de promulgação da Constituição, documento político de grande afirmação dos direitos dos índios. Também participaram da reunião, o secretário executivo da 6ª Câmara, procurador da República Gustavo Kenner Alcântara, e os coordenadores da Funai Juan Felipe e Fabrício Amorim.

Leia mais »