Nota pública sobre covid-19 em indígenas Korubo no Vale do Javari

Reforça-se que não houve casos graves, remoções ou óbitos. Como a maioria absoluta já havia tomado a segunda dose da vacina, as doses se iniciarão em até 14 dias a partir da presente data (05/03/2022), conforme protocolo do Ministério da Saúde.

Atualização dos Casos de covid-19 no DSEI Vale do Javari  –  Brasília, 05 de março de 2022.

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), do Ministério da Saúde, informa que, até a presente data, em relação à população indígena aldeada com idade acima de 18 anos, já foram vacinados mais de 91% dos indígenas com a primeira dose e mais de 85% com a segunda dose do imunizante contra a covid-19. Em relação as doses de reforço (3ª dose), o percentual é de aproximadamente 40% na população acima de 18 anos e 60% dos imunossuprimidos. Já em relação à vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos, superou-se o percentual de 72% dos indígenas que já receberam a 1ª dose e mais de 30% a 2ª dose. A vacinação na população infantil, de 5 a 11 anos, também avança e mais de 47.300 crianças já receberam a 1ª dose do imunizante.

Para que os profissionais das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) consigam chegar às aldeias com as vacinas, muitas vezes enfrentam dificuldades logísticas por via fluvial e aérea. A operacionalização da vacinação é complexa, na maioria das comunidades, devido a fatores que incluem regiões de difícil acesso geográfico, condições climáticas, diversidade cultural, dificuldade na coleta, registro e análise dos dados. Soma-se a isso a necessidade de acondicionamento, conservação e transporte, em condições especiais, dos imunobiológicos.

É importante lembrar que a validação dos dados de vacinação em população indígena segue uma logística diferenciada da população não-indígena. Isso acontece porque as Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) permanecem nas aldeias em média 20 a 30 dias, e, somente após o retorno para as sedes dos polos ou dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), os dados passam a ser computados e validados. Isso faz com que haja um lapso temporal considerável entre a quantidade de pessoas já vacinadas e o que os sistemas oficiais que computam esses dados apresentam. É importante ressaltar ainda que há um intervalo de no mínimo 8 semanas entre as doses, um fator fundamental e que também precisa ser considerado.

VALE DO JAVARI

A Terra Indígena Vale do Javari (TIVAJ) tem uma extensão de 8.527.000 hectares e um perímetro de aproximadamente 2.068 km, sendo a 2ª maior área indígena do Brasil. Nessa Terra Indígena (TI). vive a maior população de indígenas isolados do mundo, cabendo ao DSEI Vale do Javari (DSEI VAJ) também realizar assistência à saúde de 02 (dois) povos de recente contato: os indígenas da etnia Korubo e Tsohom-Dyapa. Os indígenas da etnia Korubo, que vivem entre os rios Ituí (Médio Ituí) e Coari, totalizam 103 pessoas, sendo 52 do sexo feminino e 51 do sexo masculino.

Os profissionais do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Vale do Javari têm trabalhado para evitar o avanço da covid-19 no território indígena. Isso inclui as recomendações de distanciamento social, suspensão de rituais, festejos e até a circulação de pessoas que não vivem nas aldeias. O Distrito distribui regularmente álcool em gel e máscaras de proteção individual nas aldeias. Trata-se de uma ação importante e que soma forças aos esforços que têm sido desenvolvidos por outros órgãos governamentais.

SOBRE OS CASOS DE COVID NO POLO BASE MÉDIO ITUÍ – 2021. 

No ano de 2021, foram registrados 22 casos confirmados de covid-19 no Polo Base Médio Ituí. No entanto, não foram identificados casos em indígenas da etnia Korubo.

Os fatos apresentados no cronograma abaixo apresenta as ações desenvolvidas pela Equipe técnica do DSEI Vale do Javari, em consonância com a SESAI Central, Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde – CIEVS e Fundação Nacional do Índio – FUNAI, a partir da identificação dos primeiros casos positivos de covid-19 entre Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato – PIIRC.

  • 14 de fevereiro de 2022 – foram identificados os primeiros casos de covid-19 entre os indígenas da etnia Korubo no Polo Base Médio Ituí. A Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena (EMSI) acionou o Plano de Contingência de covid-19 e realizou, dentre outras medidas, a intensificação de testagens de indígenas regressos de área urbana e também novos testes nos profissionais.
  • 15 de fevereiro de 2022 – o DSEI convocou as Equipes de Resposta Rápida (ERR), EMSI e Equipe CIEVS juntamente com a FUNAI para avaliar o cenário epidemiológico das aldeias.
  • 16 e 17 de fevereiro de 2022 – as equipes se dividiram em dois grupos. O primeiro grupo realizou investigação de campo, atendimento clínico e testagem em massa de todos os indígenas da etnia, resultando em 78 casos positivos, por critério laboratorial. O segundo grupo permaneceu na UBSI Korubo, a fim de monitorar os indígenas que pudessem necessitar de cuidados primários e monitoramento mais frequente diante dos riscos identificados.
  • 25 de fevereiro de 2022 – 59,6% dos casos confirmados, por critério laboratorial ou clínico-epidemiológico, correspondendo a 56 pessoas, já haviam sido avaliados como cura clínica e 40,4% desses casos, correspondendo a 38 indígenas, permaneceram em monitoramento pela equipe.
  • 01 de março de 2022 – chegou-se ao total de 94 casos confirmados para covid-19.
  • 05 de março de 2022 – todos já estão com cura clínica e sem quaisquer sintomas.

Reforça-se que não houve casos graves, remoções ou óbitos. As doses de reforço se iniciarão em até 14 dias a partir da presente data, conforme protocolo do Ministério da Saúde.

VACINAÇÃO DOS INDÍGENAS DA ETNIA KORUBO

Entre os indígenas do Polo Base Médio Ituí, é possível verificar a cobertura de 82,9% da segunda dose da vacina da covid-19, sendo o Polo Base com maior cobertura de sua região.

Figura 1 – Percentual de indígenas vacinados com a 2ª dose da vacina de covid-19, Polos Base Médio Ituí, Itacoaí e Alto Ituí, DSEI Vale do javari, 2022.

Com relação aos indígenas da etnia Korubo, nota-se elevada cobertura vacinal da segunda dose, para indígenas maiores de 18 anos por aldeia, sendo que as aldeias Vuku Mãe e Tapalaya alcançaram 100% de cobertura. A terceira dose ainda não foi ministrada porque está respeitando o intervalo necessário entre o contágio e a imunização, dentro da programação já estabelecida.

Figura 2 – Percentual de indígenas da etnia Korubo vacinados com a 2ª dose da vacina de covid-19, Polo Base Médio Ituí, DSEI Vale do javari, 2022.

AÇÕES REALIZADAS NO DSEI VALE DO JAVARI

  • Execução, juntamente com outros órgãos governamentais, dos planos de contingência;
  • Manutenção da organização da Equipe de Resposta Rápida em duas frentes para identificar o panorama dos sintomas e seu grau de risco, assim como monitorar os indígenas que necessitem de cuidados primários, conforme os seus riscos, como gestação, puerpério, infecção por malária e quadros de síndrome gripal de moderada a grave;
  • Retestagem de casos confirmados pelo critério clínico-epidemiológico;
  • Comunicação diária com a EMSI para identificar precocemente novos quadros da doença;
  • Auxílio de lideranças indígenas na comunicação de possíveis quadros infecciosos na população e orientações gerais, tanto em aldeias, como por rádio;
  • Elaboração de relatórios de campo diário sobre a situação do quadro clínico epidemiológico, tal como da organização da ERR;
  • Inquérito para identificação de casos de Malária nas aldeias assistidas;

SEGURANÇA

Para entrar em Terra Indígena, os profissionais são testados e seguem um rigoroso protocolo de saúde. São 14 dias em quarentena, além de manter o calendário vacinal em dia, com as três doses aplicadas. Durante os atendimentos, os profissionais usam todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPI), incluindo luvas, máscara e capote.

A situação segue sendo monitorada pelo Ministério da Saúde, SESAI, DSEI e Fundação Nacional do Índio (Funai). Está sendo executado o Plano de Ações para o enfrentamento da covid-19. A SESAI (Brasília) enviou uma equipe técnica para apoiar o DSEI no enfrentamento ao surto e também prestar apoio administrativo.

Contato:
Núcleo de comunicação/NUCOM Telefones: (61) 3315-3325/3315-3878
E-mail: comunicacao.sesai@saude.gov.br 

FONTE: SAÚDE INDÍGENA – SESAI – MS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: