Bolsonaro recebe ruralistas e pede apoio para regularizar mineração em terra indígena

O café da manhã com a bancada ruralista ocorre no momento em que líderes do setor defendem mais celeridade em pautas do agro, como o perdão de dívidas do Funrural.

O presidente Jair Bolsonaro recebeu dezenas de representantes da bancada ruralista nesta quarta-feira e pediu envolvimento para a aprovação do projeto que regulamenta a mineração, produção de petróleo, gás e geração de energia elétrica em terras indígenas.

Ao deixar o Palácio do Planalto, o presidente da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA), Alceu Moreira (MDB-RS), argumentou que a medida é importante para legalizar atividades que, na prática, já existem.

“Quando se fala em regularização, estamos querendo legalizar o que em grande parte já existe. Já estão garimpando e tomando nossas riquezas com muitos outros interesses, sem pagar um centavo de imposto e causando grandes problemas”, argumentou Moreira.

Leia na íntegra: Valor Econômico

O Valor Econômico não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante.

FONTE: Jornal da Ciência –  http://jcnoticias.jornaldaciencia.org.br/24-bolsonaro-recebe-ruralistas-e-pede-apoio-para-regularizar-mineracao-em-terra-indigena/  

 Missionário na Funai é ‘política de genocídio’, dizem entidades

Novo coordenador para o setor de índios isolados foi membro de ONG que promove missões de evangelização

Organizações indígenas, ambientalistas e acadêmicas reagiram com alarme à nomeação do ex-pastor evangélico Ricardo Lopes Dias para a chefia da Coordenação de Índios Isolados e de Recente Contato da Funai (CGIIRC). Para esses grupos, a indicação de Dias, oficializada em 5 de fevereiro, é parte de um projeto de genocídio de povos isolados para a ocupação de suas terras.

Entre as organizações que fazem essa denúncia está o Instituto Socioambiental (ISA), a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira e o Centro de Estudos Ameríndios da USP (Cesta). A mobilização de diferentes entidades levou o Ministério Público Federal a pedir ontem (11) a suspensão da nomeação.

Lopes Dias foi pastor evangélico e trabalhou durante uma década na Missão Novas Tribos do Brasil, uma organização vinculada à New Tribes Mission, dos EUA. A ONG busca fazer contato deliberado com povos isolados para pregar o cristianismo. Ele também é antropólogo, teólogo, mestre em Ciências Sociais e obteve doutorado em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Federal do ABC, na Região Metropolitana de São Paulo. Procurado para comentar o criticismo em torno de sua nomeação, o novo coordenador não se manifestou até o fechamento desta reportagem.

Leia na íntegra: Direto da Ciência

FONTE: Jornal da Ciência – http://www.jornaldaciencia.org.br/edicoes/?url=http://jcnoticias.jornaldaciencia.org.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.