Operação desmobiliza garimpos próximos a torres de transmissão da Usina de Belo Monte

Objetivo é evitar a interrupção de energia a um terço da população do país

Foto postada em: Polícia Federal DPF

Marabá/PA – A Polícia Federal cumpriu 10 mandados de busca e apreensão, nesta quinta-feira (10/11), em garimpos ilegais de manganês, nas vilas União e Capistrano de Abreu, em Marabá. A ação foi na Operação Curto-Circuito, que inutilizou máquinas nas proximidades da linha de transmissão da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. O nome da operação faz referência ao risco de desabastecimento de energia elétrica que a atividade traz a cerca de 70 milhões de brasileiros.

Foram inutilizadas 14 pás carregadeiras, dois caminhões e vários britadores na região, que fica a cerca de quatro horas do centro da cidade. Oito caminhões foram apreendidos; cinco foram levados à Delegacia de Marabá e três ficaram com fiéis depositários (quando a Justiça confia um bem a alguém durante um processo), pela impossibilidade de também levar ou destruir. A operação começou na manhã de quinta-feira, mas por conta da complexidade logística, só terminou na madrugada desta sexta-feira (11/11).

Coordenada pela Delegacia da Polícia Federal em Marabá, a operação mobilizou mais de 170 profissionais, com apoio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Também houve apoio da Força Nacional de Segurança Pública, do IBAMA, da Agência Nacional de Mineração (ANM), além de informações de inteligência do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam, Ministério da Defesa) e da Abin. O trabalho foi fruto também de discussões e demandas do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL).

A extração ilegal de minério na área ameaça o funcionamento das linhas de transmissão de energia, tendo em vista o risco de queda das torres, que levam a energia produzida na usina hidrelétrica de Belo Monte para outros estados do país.

Por questões logísticas, foi inviável transportar o maquinário pesado apreendido e, para que não seja reutilizado no garimpo ilegal, é feita a inutilização nos termos da lei.

Os responsáveis poderão responder por crimes ambientais, crime de usurpação de recursos da União (extração ilegal de minério), associação criminosa, dentre outros.

Assessoria de Comunicação da Polícia Federal no Pará – DPF – POLÍCIA FEDERAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: