Descendo o Juruá

Apresentamos os Tomos I e II da obra “Descendo o Juruá” de autoria  de  Hiram Reis e Silva (*), Bagé, RS, – um Canoeiro eternamente em busca da Terceira Margem. 

Trecho do Prefácio do Tomo I

11 – Descendo o Juruá – Tomo I – 526 pg – OK

O trabalho desenvolvido por este destemido explorador não é para qualquer um.
Ouso dizer que é para poucos, porque envolve minucioso planejamento, desprendimento, coragem e habilidade pessoal.
Tenho certeza de que, ao apreciar o conjunto de sua obra, as gerações atuais e futuras vão render a devida homenagem a este intrépido desbravador, ao corajoso pioneiro, ao nobre cidadão, que não hesita em enfrentar as enormes limitações que se antepõem à realização de seus projetos.
Estes não envolvem qualquer interesse pessoal mas a rija determinação de deixar para a posteridade um trabalho que só pode ser feito por pessoas especiais como ele.

Trecho do Prefácio do Tomo II

12 – Descendo o Juruá – Tomo II – 540 pg – OK

Hiram Reis, canoeiro perseverante e corajoso, singrou com seu caiaque 30 municípios amazônicos, desde a Foz do Breu até Manaus, unindo sua inquebrantável vontade à força da natureza, durante 83 dias, remando mais de oito horas diárias. Nesse tempo, revelou-nos cartas náuticas e mapas da região desatualizados e, mais ainda, vazio de ações e de planos futuros a serem executados em prol dos ribeirinhos, ávidos por um futuro melhor que lhes ofereça acesso ao conhecimento de como viver bem e prosperar no bioma amazônico.
Não se trata de desenhar projetos grandiosos, mas inexequíveis, bonitos no papel e no “Power Point”, sendo ineficazes para o ambiente amazônico, com suas fortalezas e vulnerabilidades, enquanto detentor de uma das maiores riquezas da biodiversidade do Planeta Terra, onde a vida pulsa nas atividades pesqueira, extrativista, turística, folclórica, de manejo da terra e dos indivíduos que compõem a fauna e a flora regional, projetando sua influência no clima e na meteorologia do continente. A eficiência e eficácia desses projetos devem buscar simplicidade de entendimento e de execução pelos ribeirinhos.

(*) Hiram Reis e Silva é Canoeiro, Coronel de Engenharia, Analista de Sistemas, Professor, Palestrante, Historiador, Escritor e Colunista;

  • Campeão do II Circuito de Canoagem do Mato Grosso do Sul (1989)
  • Ex-Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);
  • Ex-Pesquisador do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx);
  • Ex-Presidente do Instituto dos Docentes do Magistério Militar – RS (IDMM – RS);
  • Ex-Membro do 4° Grupamento de Engenharia do Comando Militar do Sul (CMS)
  • Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS);
  • Membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – RS (AHIMTB – RS);
  • Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS – RS);
  • Membro da Academia de Letras do Estado de Rondônia (ACLER – RO)
  • Membro da Academia Vilhenense de Letras (AVL – RO);
  • Comendador da Academia Maçônica de Letras do Rio Grande do Sul (AMLERS)
  • Colaborador Emérito da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG).
  • Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional (LDN).
  • E-mail: hiramrsilva@gmail.com.    

Um comentário em “Descendo o Juruá”

  1. Importante contribuição para o conhecimento dos caminhos da Amazônia

    * A equipe do ECOAMAZÔNIA esclarece que o conteúdo e opiniões expressas nos COMENTÁRIOS são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião deste ‘site”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.