Com apoio da Funai, operação de fiscalização combate atividades ilícitas em Terra Indígena no Maranhão

A Fundação Nacional do Índio (Funai), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Batalhão de Polícia Ambiental do Maranhão (BPA) concluíram a Operação Madeireiro, que atuou na Terra Indígena (TI) Awa e na Reserva Biológica do Gurupi (MA), com o objetivo fiscalizar, levantar informações e coibir ilícitos na região.

Foto: Divulgação/Funai

A operação resultou em várias autuações por crimes ambientais e apreensões, como de madeira ilegal e maquinário utilizado na extração e serragem do material.

A ação contou com a participação de servidores da Frente de Proteção Etnoambiental Awa da Funai (FPEA). As equipes localizaram acampamentos utilizados por madeireiros e apreenderam ainda cerca de 170 cabeças de gado, em área de proteção federal da TI Awa utilizada de forma ilícita para a atividade de pecuária. Além disso, foram apreendidos veículos e armamentos, e aplicadas multas por caça ilegal em território indígena.

Em respeito às medidas de segurança no contexto da pandemia do novo coronavírus, os integrantes da operação seguiram todos os protocolos de saúde necessários, tais como realização de quarentena, testagem para covid-19, distância de segurança e não-envolvimento com os indígenas, bem como utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

“A Operação Madeireiro alinha-se às ações estratégicas de proteção territorial e gestão ambiental na TI Awa. Tais ações são fundamentais para garantir a segurança das comunidades indígenas Awa Guajá que vivem na área”, comenta o diretor de Proteção Territorial da Funai, César Augusto Martinez.

Os Awa Guajá habitam quatro TIs no Maranhão – Caru, Awa, Arariboia e Alto Turiaçu -, com uma população considerada de recente contato e outros grupos que vivem isolados nas TIs Awa e Arariboia. A fundação realiza atividades de vigilância, monitoramento e fiscalização em caráter contínuo na região, por meio das Bases de Proteção Etnoambiental (BAPEs) Awa Sul e Awa Norte, vinculadas à Coordenação-Geral de Índios Isolados e de Recente Contato da Funai (CGIIRC).

Assessoria de Comunicação / Funai

PUBLICADO EM:     FUNAI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.