Oficina para gestão integrada na Calha Norte

Nos dias 15 e 16 de abril, o Museu Paraense Emílio Goeldi participa da Oficina para Gestão Integrada de Áreas Protegidas da Calha Norte, em Unidades Estaduais de Conservação da Natureza, Terras Indígenas e Territórios Quilombolas. O evento é promovido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará (SEMA-PA) e representa o primeiro passo para viabilizar a execução de políticas de conservação integradas no maior corredor de biodiversidade do mundo, que engloba áreas protegidas no Brasil, Guiana, Guiana Francesa, Suriname e Venezuela. 

Na ocasião, entidades governamentais e não governamentais, lideranças indígenas e quilombolas se reúnem para realizar um levantamento participativo dos potenciais e problemáticas da gestão integrada e encaminhar a constituição da rede para a execução de projetos nas Terras Indígenas e Territórios Quilombolas.

O Dr. Alexandre Aleixo (MPEG) fará a palestra “Mosaico de Áreas Protegidas e Corredores da Biodiversidade” no dia 15, contextualizando a importância biológica da Calha Norte. Em 2008 e 2009, o pesquisador coordenou levantamentos inéditos de grupos biológicos da região, realizados pelo Museu Goeldi em parceria com a Conservação Internacional e a SEMA-PA, buscando a elaboração de um diagnóstico preliminar dos ecossistemas e o subsídio ao desenvolvimento de planos de manejo para as diferentes Unidades de Conservação.

Após sete expedições, foram encontradas 143 espécies de peixes, 62 de anfíbios, 68 de répteis, 61 de mamíferos, 355 de aves, 653 árvores com flores e 125 samambaias e avencas. Das espécies de aves, 70 só ocorrem na Calha Norte e um terço dos mamíferos estão ameaçados de extinção, como a onça pintada, ariranha e tatu-canastra.

A primeira espécie descrita na Calha Norte paraense foi o peixe Stelicmus ix, encontrado no fundo do Rio Amazonas. Assista à reportagem feita pelo Museu Goeldi clicando aqui.

Gestão integrada da biodiversidade – Esta abordagem representa uma mudança de paradigma na conservação, que considera a importância de áreas extensas para a manutenção de processos ecológicos ao invés da conservação de fragmentos isolados, que são mais suscetíveis às pressões do entorno. No Brasil, estão em implantação três instrumentos de gestão integrada da biodiversidade: corredores, mosaicos e reservas da biosfera.

No Pará, tem sido feito o esforço de reconhecer terras indígenas e territórios quilombolas para fins da efetividade das ferramentas de gestão integrada e consolidação de mosaico e corredores de biodiversidade no estado. Os corredores são uma estratégia para a manutenção dos processos ecológicos nas áreas entre as Unidades de Conservação; já o mosaico é a gestão integrada e participativa de um conjunto de UCs  que estejam próximas, sobrepostas ou justapostas. A pesquisadora Ana Albernaz, Coordenadora de Ciências da Terra e Ecologia – CCTE, será a representante do Museu Goeldi no Comitê Gestor.

Calha Norte – Está localizada na região do Baixo Amazonas e abriga nove municípios paraenses (Alenquer, Almeirim, Curuá, Faro, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha e Terra Santa). Ocupa 23% do território do Pará, uma área correspondente aos estados de São Paulo e Alagoas juntos. É o maior conjunto de áreas protegidas de florestas tropicais do planeta, com aproximadamente 22 milhões de hectares.

 

Serviço:

Oficina para Gestão Integrada de Áreas Protegidas da Calha Norte: Unidades Estaduais de Conservação da Natureza, Terras Indígenas e Territórios Quilombolas, dias 15 e 16 de abril de 2014, de 9h às 17h, no Auditório da Diretoria de Áreas Protegidas – DIAP/SEMA, no Parque do Utinga.

 

PROGRAMAÇÃO

DIA 15/04 – MANHÃ

8h30-9h: Chegada e acolhida dos participantes

9h-9h30: Abertura. Crisomar Lobato (Diretor de Áreas Protegidas – DIAP/SEMA)

9h30-10h: Palestra “Ferramentas de Gestão Integrada: aplicação das políticas de conservação da biodiversidade”. Carlos Augusto de Alencar Pinheiro (Coordenador Regional de Santarém – CR3/ICMBio)

10h-10h30: Palestra “Mosaicos de Áreas Protegidas e Corredores da Biodiversidade”. Alexandre Aleixo (Pesquisador – Museu Paraense Emílio Goeldi)

10h30-11h: Palestra “Participação dos Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais: Direito à Cidadania”. Ione Nakamura (Promotora de Justiça – Ministério Público do Estado)

11h-12h: Discussões

12h-14h: Almoço

DIA 15/04 – TARDE

14h-14h30: Palestra “Resultados do I Seminário Áreas Protegidas do Escudo das Guianas Estado do Pará”. Márcia Franceschini (Assessora de Articulação Regional – IEPE)

14h30-15h: Palestra  “Gestão das Florestas Estaduais do Trombetas, Parú e Faro”. Joanísio Mesquita (Gerente – SEMA/PA)

15h-15h30: Lanche

15h30-16h: Palestra “Gestão da Estação Ecológica do Grão Pará e Reserva Biológica do Maicurú”. Rubens Aquino (Gerente – SEMA/PA)

16h-16h30: Palestra “Gestão do Parque Estadual  de Monte Alegre”. Patrícia Messias (Gerente – SEMA/PA)

16h30-17h: Palestra “Etnozoneamento das Terras Indígenas Trombetas e Nhamundá Mapuera”. Claudia Kahwage (Gerente – GEPICT/SEMA/PA)

DIA 16/04 – MANHÃ

9h-10h30: Grupo de Trabalho 1 – Potenciais da gestão integrada de Áreas Protegidas da  Calha Norte / Grupo de Trabalho 2 – Problemáticas da gestão integrada de Áreas Protegidas da Calha Norte. Claudia Leitão (Pedagoga – SEMA/PA)

10h30-12h: Exposição preliminar da constituição e documento de adesão à Rede Gestão  Integrada das Áreas Protegidas da Calha Norte no Pará. Leonardo Freitas (Historiador – SEMA/PA)

12h-14h: Almoço

DIA 16/04 – TARDE

14h-16h30: Dinâmica participativa para Planejamento de ações integradas de parceiros nas Áreas Protegidas da Calha Norte no Pará. Claudia Leitão (Pedagoga – SEMA/PA)

16h30-16h45: Lanche

16h45-18h: Apresentação dos documentos finalizados de Constituição e Adesão à Rede de Gestão Integrada das Áreas Protegidas da Calha Norte. Leonardo Freitas (Historiador – SEMA/PA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.