Dia Internacional da Língua Materna (21/02): conheça a atuação da Funai na preservação de línguas indígenas

Proclamado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o Dia Internacional da Língua Materna, em 21 de fevereiro, promove a diversidade linguística e cultural e o multilinguismo, visando à preservação das línguas locais como patrimônio imaterial das nações.

O linguista Sanderson Oliveira conversa com pesquisadores Korubo durante atividades de documentação na Terra Indígena Vale do Javari (AM) | Foto: Paulo Mumia | Prodoclin – 25/02/2018 – Postada em: FUNAI

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), estima-se que 43% dos cerca de 6 mil idiomas atualmente falados no mundo poderão desaparecer, perdendo-se, assim, um dos maiores pilares da identidade cultural de muitos povos.

Atualmente são faladas no Brasil 274 línguas indígenas, sendo que, segundo o Atlas das Línguas em Perigo da Unesco, 190 delas estão ameaçadas de extinção. Consciente disso, a Funai, em cooperação técnica com a Agência Brasileira de Cooperação e Unesco, coordena por meio do Museu do Índio o projeto Salvaguarda do Patrimônio Linguístico e Cultural de Povos Indígenas Transfronteiriços e de Recente Contato na Região Amazônica. A iniciativa é voltada, entre outras frentes, à documentação de culturas e línguas indígenas ameaçadas.

No momento, Moré-kujubin, Kheuol, Baniwa, Yekuana, Sanoma, Guató, Korubo, Arutani Ninan, Xinane e Taurepang são projetos em andamento, que resultam, entre outros produtos, no registro sistematizado do corpus linguístico de línguas em situação de vulnerabilidade, na produção de dicionários multimídias, e outros materiais técnicos voltados à revitalização linguístico-cultural em contextos escolares das comunidades.

Um dos mais recentes resultados do projeto foi  a disponibilização, no Google Play,  do dicionário de línguas indígenas da plataforma Jaapim, nas línguas Guató, Ye’kwana, Sanöma e Kawahiva. A iniciativa construída pela parceria entre pesquisadores indígenas, não indígenas e por sábios dos povos reforçou o empenho e compromisso do Brasil na preparação para a Década Internacional das Línguas Indígenas (2020-2032). Clique e saiba mais

Estima-se para 2022 a contratação de pesquisadores e bolsistas indígenas e não-indígenas, com vistas à realização de subprojetos de documentação e de outros trabalhos técnico-científicos voltados à salvaguarda do patrimônio linguístico e cultural indígena. Conheça mais sobre o projeto e outras iniciativas do Museu do Índio aqui.

Assessoria de Comunicação /  FUNAI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: