Dia do Refugiado é lembrado por acender as esperanças de muitos venezuelanos com a Operação Acolhida

Brasília (DF), 20/06/2021 – O dia de hoje, 20 de junho, é celebrado com alegria e esperança pelos refugiados recebidos no Brasil, que passaram a ter uma vida mais digna.

Foto: Ministério da Defesa

Grande parte dos estrangeiros são venezuelanos que, devido à crise política instalada no país deles, desde 2012, levou muitos a buscarem trabalho e melhores condições de vida aqui. Eles somam 52.963 imigrantes.

Desde o começo de 2018, quando foi organizada a Força-Tarefa Logística Humanitária Operação Acolhida, os venezuelanos que ingressam no País pela fronteira no município de Pacaraima, em Roraima, são recebidos e encaminhados para outras localidades. As cidades que mais acolheram foram Manaus, Curitiba, São Paulo, Porto Alegre e Dourados em Mato Grosso do Sul. Nestes centros urbanos, os imigrantes são integrados ao mercado de trabalho e passam a ter mais qualidade de vida.

A Operação Acolhida é coordenada pela Casa Civil da Presidência da República e gerenciada pela Chefia de Logística e Mobilização do Ministério da Defesa, responsável pelo envio das forças militares para os pontos de acolhimento, na fronteira do Brasil com a Venezuela.

“O sentimento de estar engajado na Operação Acolhida é nobre. O brasileiro, por si, já é um povo de bom coração. Queremos atender a todos da melhor forma possível e o apoio de outras organizações sempre é bem-vindo. Ajudar essas pessoas é um trabalho diferenciado, sem dúvida”, comenta o Chefe de Logística e Mobilização do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues.

As instalações físicas da Operação ficam na 1ª Brigada de Infantaria de Selva do Exército, em Boa Vista. Há cada quatro ou cinco meses, há renovação no efetivo de militares. Desde o início, em 2018, cerca de 6 mil militares passaram pela Força-Tarefa Logística Humanitária.

Foto: Ministério da Defesa

Devido à pandemia do novo coronavírus, a fronteira com a Venezuela segue fechada. Cerca de 7 mil venezuelanos permanecem dentro dos abrigos, onde todos recebem três refeições ao dia e são responsáveis pela higienização das barracas de acolhimento. Eles contam com atividades como prática desportiva e áreas de convívio.

Por Nina Moss
Fotos: Divulgação

Centro de Comunicação Social da Defesa
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*