Beleza limpa: sustentabilidade nos cosméticos é a aposta

Rede de parceiros consolidada e laboratórios de ponta são estruturas que garantem a viabilidade de desenvolvimento de pesquisas para empresas de todo o Brasil.

O Diretor de Articulação Público-Privado, Sérgio Alves, explicando a capacidade e expertise da BioTec-Amazônia com ações voltadas para estudos hábeis e valoração de tecnologias. Imagem: Ascom BioTec-Amazônia

A BioTec-Amazônia recebeu Camila Farnezi, Latin America Director da marca americana Biossance Brasil, no dia 24 de setembro de 2020. Na oportunidade a BioTec-Amazônia apresentou o trabalho realizado pelo Laboratório de Tecnologia Supercrítica – LABTECs, Coordenado pelo Professor Raul Nunes e do Laboratório de Engenharia Biológica – EngBio, Coordenado pelo Professor Artur Silva. Também participou Luiz Felipe Moura, da MAD – MADE IN AMAZONIA que trabalha com produção, beneficiamento e distribuição de Spirulina, Guaraná Cipó Biológico e Vegan Cheese na Amazônia, Super Alimentos e Vegan Foods.

O Diretor de Articulação Público-Privado, Sérgio Alves, explicou, durante o encontro, a capacidade e expertise da BioTec-Amazônia com ações voltadas para estudos hábeis e valoração de tecnologias. “A nossa proposta é ser um Centro de Inteligência em Bioeconomia da Amazônia. Fala-se muito da Amazônia, mas poucos a conhecem realmente. Quando se fala em Amazônia se pensa muito em filantropia. E a nossa proposta é ser orientadores de investimentos”, relatou Sérgio.

A BioTec-Amazônia também possui uma rede de parceiros consolidada que busca desenvolver atividades de interesse em comum com as instituições partícipes e a execução de projetos, estudos e pesquisas com foco nas áreas de biodiversidade, biotecnologia e bionegócios. “Então, a pessoa que quer investir aqui na Amazônia e não sabe os projetos, não sabe a área e aí, de acordo com cada setor, possa sentar e conversar conosco. Alimentos, cosméticos, nutracêuticos, superfoods e assim por diante. Então temos alguns parceiros, como Bioesans, Clariant, Embrapa, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Embrapii”.

Curando Feridas – É importante destacar o trabalho de articulação da BioTec-Amazônia com esses parceiros e como é fundamental a participação deles no processo pois muitos já possuem estudos realizados e pesquisas desenvolvidas com clareadores, protetores solares e vitaminas.

“E esses trabalhos ficam parados. E ali tem enormes possibilidades de desenvolver produtos a partir desses conhecimentos. Nós temos muitas localidades aqui no Pará onde as pessoas se curam, cicatrizam feridas tudo a partir de insumos da natureza. E esse é o conhecimento tradicional. A partir disso, a academia vai e leva para o científico: porque essa planta tá cicatrizando essa ferida em apenas uma semana? O que ela tem? E geralmente esses resultados chegam em nível de extrato”, destaca Sérgio.

Por isso, a estrutura de laboratórios associados à BioTec-Amazônia está a disposição dos investidores, com o intuito de atrair empresas e participantes de outras regiões do Brasil para conhecer in loco a infraestrutura e possibilidades que esses ambientes podem proporcionar aos seus negócios. “Então, para isso, a gente conta com a estrutura de laboratórios, com pesquisadores e a nossa equipe de inteligência competitiva e a gente trabalha visualizando empresas, o que elas estão buscando e a gente vai lá e oferta esses produtos pra elas. Nós temos como diferencial a nossa governança inovadora com ligação no campo público e no campo privado”, finalizou Sérgio.

Embalagens Sustentáveis – A marca americana Biossance no Brasil nasceu na Califórnia, em 2003, mas chegou no Brasil em março de 2018. A companhia faz parte do grupo Amyris, fundado por um time de pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Berkeley. Utiliza recursos renováveis, tem preocupação com o planeta, formulando produtos com métodos sustentáveis, nenhum desmatamento e baixo consumo de água.

“Nossas embalagens sustentáveis são feitas da fibra da cana de açúcar. Sustentável e certificadas pelo Forest Stewardship Council (FSC). Nós temos uma lista de mais de dois mil ingredientes banidos. Nós eliminamos o uso daqueles que são comprovadamente tóxicos ou potencialmente tóxicos para o consumidor e para o meio-ambiente. Se faz mal para um dos dois, não pode usar”, explicou Camila.

Para ela, a marca busca se alinhar ao que tem de mais moderno no mundo. “Sustentabilidade é o caminho do futuro. Algumas marcas começam a tomar medidas para se tornarem sustentáveis e acompanhar esse movimento que se faz necessário. A Biossance assume postura mais assertiva em relação à beleza limpa e estabelece um novo padrão do que esperar de seus produtos de cuidados com a pele. Sustentabilidade, beleza limpa e eficaz faz parte do nosso DNA o que torna nossos próprios padrões mais altos que a média mundial”.

PUBLICADO EM:   BioTec Amazônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.