Bolsonaro leva boas novas para Roraima

Jair Bolsonaro passou por Boa Vista, neste sábado, 7, e deixa mais um rastro de boas notícias para o povo roraimense.

Sendo recebido pelo governador Antonio Denarium, e a primeira dama do Estado, Simone Denarium, na Ala 7 da Base Aérea de Boa Vista, por ser uma visita não oficial, a conversa foi amena, mas, nem por isto de suma importância para Roraima, quando ações foram confirmadas para o crescimento e fortalecimento do Estado.

Bolsonaro passou pela Capital apenas porque a sua aeronave teve que fazer o reabastecimento, uma vez que está indo neste dia para os EUA, onde se reunirá com presidente Trump.

O governador Denarium, que não fez uso da palavra justamente por não se tratar de um evento oficial, apenas acompanhou de perto os anúncios do presidente e de sua equipe.

BOAS NOTÍCIAS

Logo que começou a falar, Bolsonaro expôs sua felicidade em estar em Roraima mais uma vez, e agradeceu ao povo roraimense pelos votos e acima de tudo por ter tido a Graça de Deus em estar vivo para poder ganhar a eleição e poder estar presidente do País.

Bolsonaro chamou o seu ministro de Minas e Energia, Bento Leite, que afirmou que até maio começa efetivamente o processo de ligar Roraima energeticamente com o Linhão de Tucuruí.

Segundo Ministro Bento, até o fim deste mês e abril as tratativas finais serão concluídas com os acertos, e o linhão sairá do papel. Segundo ele, isto é uma espera de mais de 9 anos.

“Realmente é mais um compromisso do presidente Bolsonaro viabilizar o Linhão de Tucuruí, e são nove anos, Senhor Presidente, que a sociedade de Roraima, o povo de Roraima espera por isto. Nunca estivemos tão próximo, é um trabalho integrado do Governo Federal, do Governo Estadual com todas as organizações, que de forma integrada agora estamos muito próximo da entrega. Agora em março estamos terminando a licença ambiental, depois dito teremos a licença de instalação, que deve ser consentida em maio, que vai interligar o Estado de Roraima ao Brasil”, destacou o ministro.

POVO NAS RUAS

Antes de Bento Leite falar, Bolsonaro deixou um claro recado para todos políticos, quando destacou o quanto é positivo e legal o povo ir às ruas para de forma pacífica manisfestar seus ideários, dar o seu grito de voz, e mais, o presidente afirmou que é legítimo ir para as ruas e deixar claro que é do povo que se emana o poder, e o capitão disse mais, entre muitos aplausos, que político que teme manifestação, que tem medo do povo não merece ser votado.

“Agora pessoal, não é fácil, já levei facada no pescoço (ou seja, foi cobrado por certos políticos que insistem em querer fazer politicagem e não agir correto pelo país) dentro do meu gabinete, e não é fácil, porque são pessoas que só pensam nele, e não no povo, como devia. Esta é uma grande realidade, e daí apoiarmos um movimento de rua espontâneo, porque o político que tem medo de movimento de rua não serve para ser político. Isto não é um movimento contra o Congresso, contra o legislador e nem o judiciário é um movimento pró Brasil, é um movimento para mostrar para todos nós que quem dá o Norte para o país é  a popular”, disse sob muitos aplausos o presidente.

PRESTÍGIO

Já ao final de sua fala, na Base Aérea, Bolsonaro fez questão de convidar o índio macuxi Jonas Marcolino para falar sobre o que tem achado do governo e sua política indigenista, uma vez que o presidente já encaminhou ao Congresso projeto de lei, que se aprovado dará um novo contorno a todos os índios que poderão ter o direito de explorar suas terras, seja com agricultura, piscicultura, minério, entre outros.

E de forma contundente Jonas Marcolino falou claramente que é isso que a maioria do seu povo quer, poder produzir e ser dono da sua terra, tendo a liderdade de agir, e não ficar apenas nesta linha de dependência que há décadas ocorre.

O índio começou sua breve fala lembrando Bolsonaro quando ainda deputado federal participava de uma comitiva parlamentar do Congresso Nacional, que na época se discutia ainda a demarcação da Raposa Serra do Sol seria em ilhas ou contínua…”Eu disse a ele, para aquela equipe de senadores e deputados federais, ‘estamos vendo a história passando diante de nós, parafraseando Hegel, quando viu o Exército de Napoleão, e disse naquele dia (a Bolsonaro e demais políticos)…que não sabíamos se tinha um homem capaz de revolucionar este Estado como assim Napoleão revolucionou a França e todo o mundo, eu disse a ele (Bolsonaro) em Brasília que ele seria esse homem!’Agora temos esta oportunidade de dizer o que pensamos e até poder explorar nossas riquezas como assim queremos. Que Deus abençoe este Governo”, falou Jonas Marcolino, que também foi muito aplaudido.

TUDO PELO BRASIL

Para Bolsonaro ficou a certeza de que não só o Brasil está no rumo certo, mas Roraima também. Antes de encerrar, o presidente da República deixou o seu general, do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno falar, uma vez que ele foi por anos Comandante da Amazônia, e profundo conhecedor do Norte e suas mazelas, bem como riquezas.

É esperado que em maio, dia 7, na reunião da Suframa em Boa Vista, Bolsonaro venha, e de forma oficial possa dar ao povo de Roraima reais certezas sobre o nosso destino, inclusive sobre a maldita corrente do Jundiá vai permanecer ou não impedindo o desenvolvimento do Estado.

REDAÇÃO AgNorte

agnorte.com.br

Por Marlen Lima   

Publicado em Roraima

VER MAIS EM:

Ministro afirma que obra do Linhão de Tucuruí começará em maio  

Líder indígena diz que Bolsonaro é esperança para índios de RR

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.