Ação integrada apreende madeira ilegal no Vale do Javari (AM)

Uma ação integrada de fiscalização na fronteira com o Peru, que envolveu Ibama, Funai, Exército, Policia Ambiental do Estado do Amazonas, resultou na apreensão de uma jangada com 432 toras de madeira e na aplicação de multa no valor de R$ 130,5 mil. Monitoramentos realizados pela Frente de Proteção Etnoambiental e pela Coordenação Regional da Funai no Vale do Javari sugerem que parte da madeira teria sido retirada de Terra Indígena.

A ação faz parte da Operação Javari, que combate o tráfico de biodiversidade na tríplice fronteira (Brasil, Colômbia e Peru). A missão também abrangeu os rios Ituí, Itaquaí, Quixito, todos localizados no interior da terra indígena, onde estão localizadas as Bases de Proteção Etnoambiental da Fundação Nacional do Índio.

O flagrante ocorreu no rio Javari, em Atalaia do Norte (AM). Um peruano que transportava as toras de ucuúba, marupá, jacareúba, cedro, cedrorana, louro e samaúma foi abordado pela equipe de fiscalização e apresentou documentação peruana sobre a origem da madeira com informações inconsistentes. O estrangeiro não portava nota fiscal.

Entre as madeiras transportadas, foi encontrado o cedro, que está listado no apêndice III da Convenção Internacional sobre Comércio de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora (Cites). Por esse motivo, seria necessária licença especial para entrada ou saída do país.

As toras apreendidas na operação realizada entre os dias 6 e 15/2 ficarão sob a guarda do Exército em Benjamin Constant (AM) até serem doadas.

Colaboração: Gustavo Sena de Souza, coordenador substituto da FPEVJ/Funai

Texto: Ana Heloisa d’Arcanchy/Ascom/Funai, com informações do Ibama 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.