Índios continuam bloqueio em dois trechos da BR-174, Norte de Roraima

Índios continuam bloqueio em dois trechos da BR-174, Norte de Roraima. Rodovia é liberada três vezes ao dia; bloqueio ocorre em Pacaraima. Índios quebraram trechos da pista; Dnit informou que vai denunciar o caso.

Indígenas das comunidades Nova Esperança e Sorocaima, na reserva São Marcos, região de Pacaraima, continuam neste domingo (26) com o bloqueio em dois trechos da BR-174, sentido Norte do estado. Segundo a Polícia Militar, os manifestantes liberam a rodovia três vezes ao dia: de 6h às 7h, 12h às 13h30 e das 18h às 19h30. Fora esses horários, eles fecham os dois pontos nos dois sentidos da pista.

Para fazer o bloqueio a rodovia, os indígenas usam galhos de árvores e pneus. Conforme o líder indígena Jesus Level de Almeida, a manifestação é para cobrar sinalização na rodovia e a instalação de redutores de velocidade. Na segunda-feira (20) houve um protesto de quase 4h na rodovia devido a morte por atropelamento de uma menina de 8 anos.

Nesta segunda manifestação, que se iniciou no sábado (25) pela manhã, os indígenas quebraram o asfalto em vários trechos da rodovia. A medida seria para impedir a circulação de veículos, além de servir de instrumento para a redução de velocidade na BR.

Ao G1, o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Pedro Christ, informou que vai recorrer ao Ministério Público de Roraima (MPRR) para denunciar as pessoas que danificaram o asfalto.

Apesar da manifestação ter completado mais de um dia, a PM informou que nenhuma pessoa havia sido presa até às 17h (horário local) deste domingo.

Motivação do fechamento da rodovia
Na noite de domingo (19), segundo a polícia, por volta das 22h, um taxista que seguia de Boa Vista para Pacaraima atropelou uma menina indígena de 8 anos. A vítima foi socorrida pelo próprio condutor do veículo, porém morreu no hospital de Pacaraima.

O motorista do táxi foi levado para a delegacia de Pacaraima. Segundo um servidor do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a menina teve politraumatismo e não resistiu aos ferimentos.

FONTE:  http://www.centralizado.com.br/home/destaques-2/item/190625-.html

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.