A Terceira Margem – Parte DXXXVI

Descendo o Rio Branco

RioTacutu

AC 01 – AC 02, 02.09.2018

O Futuro da Humanidade
(Augusto Cury)

Mais sábios que os homens são os pássaros. Enfrentam as tempestades noturnas, tombam de seus ninhos, sofrem perdas, dilaceram suas histórias. Pela manhã, têm todos os motivos para se entristecer e reclamar, mas cantam agradecendo a Deus por mais um dia. E vocês, portadores de nobre inteligência, que fazem com suas perdas?

Acordei às 05h30, a meia lua (Quarto Minguan­te) não cooperava com sua claridade, mas o Sol que surgiria por trás da serra apenas às 06h17 já começava a clarear a abóboda celeste, de modo que usei minha lanterna de cabeça apenas dentro da barraca para arrumar as tralhas nas mochilas impermeáveis. A passarada entoava seus cânticos em louvor ao Astro Rei que ainda visivelmente entorpecido espreguiçava seus longos raios rasgando diáfanas nuvens.

Parti às 06h10, e às 08h20 passava pela Foz do Rio Surumu, tantas vezes citado no Tomo II desta série, adentrei um pouco, na sua Foz, para melhor ouvir o rouco e poderoso concerto dos guaribas (bugios). Um bando grande sem dúvida capaz de fazer calar todos os demais cantores do lavrado.

Por volta das 10h00, um boto vermelho resolveu me acompanhar gingando graciosamente ora à proa, à boreste ou à bombordo do “Argo I”. O gracioso cetáceo acompanhou-me por mais de meia hora fazendo-me esquecer por breves momentos da dor e das limitações de meu ombro direito.

Mais adiante uma pequena nuvem a uns 500 metros de minha proa atravessava o Rio da margem esquerda para a direita, ela chegara de fininho espar­ramando a chuva devagarinho. Marquei o local por onde ela passara, acostei na margem esquerda onde fui sur­preendido pelo crepitar incessante das gotinhas de chuva. O curioso é que a nuvem já partira, mas as minúsculas gotículas que se acumularam nas folhas das copas das árvores uniam-se morosamente umas às outras até desprenderem-se delas lançando-se altanei­ras no espaço. O coral dos guaribas no Surumu, o dançarino boto vermelho e o malabarismo das lágrimas da pequena nuvem maravilharam meu dia.

Cheguei, às 16h00, à foz do Tacutu no Rio Branco, depois de remar 75 km, durante 09h30, tota­lizando 152 km. Tentei me aproximar das coordenadas do Forte São Joaquim desembarcando em uma peque­na ilha de seixos e quase fui tragado pelo terreno mo­vediço. Retornei ao Rio Tacutu remando 2 km contra a corrente até uma pequena ilha de areias muito brancas onde acampei (AC 02 – 03°01’50,97” N / 60°28’27,23” O).

RioTacutu

Quando fui entrevistado pela repórter Marleide Cavalcante no programa “Bom dia Cidade”, da TV Cultura, ela havia me contado sua trágica experiência:

BVNEWS, Boa Vista, RR
Quinta-Feira, 05.02.2015

Corpo do Professor é Encontrado
As buscas Pelo Professor Rafael Oliveira
Encerraram no Início da Tarde Desta Quinta-Feira com um fim Trágico

Corpo do professor Rafael Oliveira é desembarcado por bombeiros na orla de Boa Vista. O corpo do professor da Universidade Federal de Roraima [UFRR] e diretor da Fundação Ajuri, Rafael Oliveira, 35 anos, foi localizado às 14 horas desta Quinta-feira [05], no rio Branco, onde se afogou no início da noite de ontem quando realizava um passeio de lancha com sua namorada, a jornalista e apresentado de TV, Marleide Cavalcante. As buscas pelo professor iniciaram ontem à noite logo após o acidente. Cerca de oito bombeiros em dois barcos realizaram buscas superficiais e em profundidade com a ajuda de um malhador ainda durante a noite e madrugada. Na manhã de hoje, mergulhadores começaram a procurar Rafael Oliveira próximo ao local onde desapareceu. De acordo com informações extraoficiais, o corpo do professor foi localizado boiando próximo à Praia Grande, município do Cantá. Ele foi resgatado e entregue ao Instituto de Medicina Legal (IML) na Orla Taumanan. (BVNEWS, 2015)

Total 2° Dia ‒ AC 01 / AC 02                    =   75,0 km
Total Parcial ‒ Ponte Tacutu / AC 02         = 152,0 km

Por Hiram Reis e Silva (*), Bagé, 18.01.2023 – um Canoeiro eternamente em busca da Terceira Margem. 

 (*) Hiram Reis e Silva é Canoeiro, Coronel de Engenharia, Analista de Sistemas, Professor, Palestrante, Historiador, Escritor e Colunista;  

  • Campeão do II Circuito de Canoagem do Mato Grosso do Sul (1989)
  • Ex-Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);
  • Ex-Pesquisador do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx);
  • Ex-Presidente do Instituto dos Docentes do Magistério Militar – RS (IDMM – RS);
  • Ex-Membro do 4° Grupamento de Engenharia do Comando Militar do Sul (CMS)
  • Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS);
  • Membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – RS (AHIMTB – RS);
  • Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS – RS);
  • Membro da Academia de Letras do Estado de Rondônia (ACLER – RO)
  • Membro da Academia Vilhenense de Letras (AVL – RO);
  • Comendador da Academia Maçônica de Letras do Rio Grande do Sul (AMLERS)
  • Colaborador Emérito da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG).
  • Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional (LDN).
  • E-mail: hiramrsilva@gmail.com

NOTA – A equipe do EcoAmazônia esclarece que o conteúdo e as opiniões expressas nas postagens são de responsabilidade do (s) autor (es) e não refletem, necessariamente, a opinião deste ‘site”, são postados em respeito a pluralidade de ideias. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: