Em Rondônia, Funai entrega 4,5 mil mudas de café a famílias indígenas

Famílias da Terra Indígena Sete de Setembro, em Rondônia, receberam 4,5 mil mudas de café com o apoio logístico da unidade descentralizada da Fundação Nacional do Índio (Funai) localizada em Cacoal (RO). As mudas foram adquiridas por produtores da etnia Paiter Suruí, que contaram com o suporte da fundação para o transporte delas até a aldeia Betel, onde serão cultivas em uma área de aproximadamente quatro hectares.

Famílias da Terra Indígena Sete de Setembro, em Rondônia, receberam 4,5 mil mudas de café. Foto: Divulgação/Funai

Além de contribuir com a geração de renda das famílias, a ação fortalece a autonomia indígena no estado de Rondônia. “Iremos manter a atenção para continuar a apoiar a produção indígena de café por meio do transporte de equipes especializadas e de equipamentos de irrigação até as aldeias”, afirma o coordenador regional da Funai em Cacoal, José Sotele.

“Os Paiter Suruí fazem parte do fomento econômico local e os incentivos governamentais impulsionam esse processo. Portanto, nossa função, enquanto órgão indigenista, é prestar todo apoio necessário à produção sustentável indígena, que é uma fonte de trabalho e renda para centenas de famílias indígenas na região”, pontua Sotele.

Etnoturismo

O cultivo de café em aldeias da etnia Paiter Suruí no município de Cacoal é uma das mais novas rotas turísticas regionais de Rondônia. Tanto a população local quanto quem visita o estado pode conhecer as áreas de plantio a 500 quilômetros de Porto Velho, capital rondoniense. A produção de café conta com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai) e se consolidou com uma das principais atividades produtivas das comunidades indígenas da região.

Em 2021, os produtores indígenas de café especial de Rondônia forneceram aproximadamente 750 sacas do produto para o grupo 3Corações. A empresa adquire a produção de 113 famílias da etnia Paiter Suruí, que estão organizadas em cooperativas. A Funai tem apoiado a produção do café sustentável em atividades como o transporte de mudas de café, o escoamento da produção e a preparação do solo para o plantio. A cafeicultura é a principal fonte de renda das famílias indígenas, cuja receita total em 2021 chegou a R$ 634 mil.

Assessoria de Comunicação / FUNAI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: