Governo Federal homenageia Povos e Comunidades Tradicionais em websérie

Composto de três episódios, conteúdo foi lançado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e integra as ações do mês de Valorização dos PCTs

Atualmente, são 28 os segmentos de PCTs, segundo o Decreto nº. 8.750 de 2016. Entre os exemplos mais conhecidos estão os indígenas (Foto: Willian Meira)

Um mergulho na cultura, nos costumes e no modo de organização e de subsistência dos Povos e Comunidades Tradicionais (PCTs). Esta é a websérie de três episódios lançada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) nesta sexta-feira (25). A iniciativa, realizada em parceria com a Empresa Brasil de Comunicação, é parte das ações em referência à Semana Nacional de Valorização dos PCTs, celebrada em fevereiro.

Os PCTs são definidos pelo Decreto nº. 6.040 de 2007 como “grupos culturalmente diferenciados e que se reconhecem como tais, que possuem formas próprias de organização social, que ocupam e usam territórios e recursos naturais como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição”.

Atualmente, são 28 os segmentos de PCTs, segundo o Decreto nº. 8.750 de 2016. Entre os exemplos mais conhecidos estão os quilombolas, os ciganos e os indígenas. No documentário lançado pelo MMFDH, para contar a realidade desses povos, foram convidados Cirilo dos Santos Rosa, integrante da comunidade quilombola do Engenho, em Cavalcante (GO); Valdinalva Caldas, cigana da etnia Calon; o indígena Kakatsa Kamaiurá; e gestores que atuam com a temática.

“O lançamento dessa série é mais uma etapa no sentido de dar visibilidade aos nossos PCTs. Convidamos cada um a assistir e divulgar o conteúdo, pois, somente conhecendo a diversidade do povo brasileiro, é que podemos entender o quão múltipla e bela é a cultura do nosso país”, afirma o secretário Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do MMFDH, Paulo Roberto.

“Os povos tradicionais contribuem muito para isso, pois preservam suas gerações e são fundamentais para a cultura e a história do país. Muitos deles chegaram antes de nós e merecem, além do nosso respeito, a nossa atenção”, conclui o gestor.

Além do panorama geral, o espectador ainda irá aprender mais sobre os mecanismos de promoção dos direitos dos PCTs, como a Constituição Federal de 1988 — que é considerada um marco no avanço das políticas públicas para o grupo — e atuação do Conselho Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT).

Assista à websérie #EuSouoPovoBrasiliero abaixo:

Povos e Comunidades Tradicionais episódio – 01

Povos e Comunidades Tradicionais episódio – 02

Povos e Comunidades Tradicionais episódio – 03

PUBLICADO POR:     MINISTÉRIO DA MULHER, DA FAMÍLIA E DOS DIREITOS HUMANOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: