Imazon aponta desmatamento de 179 km² na Amazônia Legal em fevereiro de 2021, com Pará e Roraima no topo do ranking

Dado representa o segundo maior valor da série histórica nos últimos 10 anos, ficando atrás apenas do desmatamento detectado em fevereiro de 2018

Publicado em: IMAZON

O Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) detectou 179 km² de desmatamento na Amazônia Legal em fevereiro de 2021, segundo dados do Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD) – que monitora, via satélite, as áreas desmatadas na região. Este é o segundo maior valor da série histórica nos últimos 10 anos, ficando atrás apenas do desmatamento detectado em fevereiro de 2018, e corresponde a um aumento de 74% em relação a fevereiro de 2020, quando o desmatamento somou 103 km².

Pará e Roraima lideraram o ranking dos Estados que mais desmataram na região.  Juntos eles apresentaram oito municípios no ranking dos 10 que mais desmataram no mês. Além disso, em fevereiro, cinco unidades de conservação do ranking das 10 mais desmatadas estão localizadas no estado do Pará. Considerando o calendário de desmatamento 2021 (agosto de 2020 a fevereiro de 2021) houve um aumento de 51% em relação ao mesmo período do calendário anterior.

Roraima aparece em segundo lugar no ranking em decorrência da sazonalidade que ocorre naquela região. O estado, que apresenta uma dinâmica de chuvas inversa aos demais estados do Norte, costuma apresentar um aumento de desmatamento no período, além da condição de nuvens que permite a melhor detecção.

Em fevereiro de 2021, a maioria (60%) do desmatamento ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante do desmatamento foi registrado em Assentamentos (22%), Unidades de Conservação (17%) e Terras Indígenas (1%). Os municípios que mais desmataram na Amazônia Legal em fevereiro de 2021 são: São Félix do Xingu (PA), Caroebe (RR), Rorainópolis (RR), Caracaraí (RR), Novo Repartimento (PA), Itaituba (PA), São João da Baliza (RR), Manicoré (AM), Apuí (AM) e Pacajá (PA).

Degradação

As florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 51 km² em fevereiro de 2021, o que representa um aumento de 38% em relação a fevereiro de 2020, quando a degradação detectada foi de 37 km². Em fevereiro de 2021 a degradação foi detectada no Pará (71%), Mato Grosso (27%) e Roraima (2%).

Monitoramento da Amazônia – O Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), desenvolvido pelo Imazon, é uma ferramenta que utiliza imagens de satélite para monitorar a floresta. Além do SAD, existem outras plataformas que vigiam a Amazônia: Deter, do Inpe, e o GLAD, da Universidade de Maryland. Todas essas plataformas são importantes para a proteção do nosso patrimônio ambiental, pois garantem a vigilância da floresta e a emissão de alertas dos locais onde há registro de desmatamento. Os dados fornecidos ajudam a subsidiar os órgãos de controle ambiental a planejar operações de fiscalização e identificar desmatadores ilegais.

Veja o Boletim do Desmatamento de fevereiro de 2021 completo aqui.

Texto Dominik Giusti – PUBLICADO EM:  IMAZON

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*