Grupos de indígenas entram em confronto após ‘lockdown’ em comunidade de Bonfim

Grupo chegou a atear fogo em ponte; ainda não há confirmação oficial sobre feridos.

Uma ponte foi queimada na comunidade – Foto: Divulgação/WhatsApp

Indígenas da comunidade Manoá, em Bonfim, ao norte de Roraima, entraram em confronto nessa terça-feira após desavença entre o tuxaua da comunidade e um grupo que apoia uma nova liderança. No conflito, uma ponta que dá acesso a comunidade foi incendiada.

A confusão foi motivada após a decisão de um lockdown na Terra Indígena Manoá/Pium, por 15 dias. Entre as medidas, estão a proibição de aglomerações, de acesso à pessoas de fora das comunidade e de consumo de bebidas alcoólicas.

De acordo com informações de moradores, o grupo opositor chegou a fazer uma eleição para eleger um novo líder, o que foi rejeitado pelo tuxaua e deu início ao confronto. Ainda não há confirmação oficial sobre feridos.

Reportagem    Redação

Por  Portal Roraima 1

Indígenas entram em conflito na comunidade do Manoá, em Bonfim
De acordo com informações, o conflito teria sido motivado por uma disputa entre um ex-tuxaua e indígenas que apoiam a nova líder
Durante o conflito, indígenas montaram uma fogueira em uma ponte localizada na região (Foto: Divulgação)
Segundo informações repassadas à FolhaBV, um conflito entre indígenas da comunidade do Manoá, localizada no município de Bonfim, teria deixado várias pessoas feridas.

De acordo com as informações, o conflito teria sido motivado por uma disputa entre um ex-tuxaua e indígenas que apoiam a nova líder da comunidade.

“Os indígenas estavam descontentes com a gestão do ex-tuxaua diante das atitudes dele com as pessoas que tentavam passar pela barreira feita na comunidade, por conta do coronavírus, e o tiraram do cargo. Apoiadores do ex-tuxaua, inconformados, iniciaram o conflito com o outro grupo tentando impedir que a nova líder ocupe o cargo”, relatou a fonte, que prefere não se identificar.

Durante o conflito, indígenas montaram uma fogueira em uma ponte localizada na região.

OUTRO LADO – A FolhaBV entrou em contato o Ministério Público Federal (MPF)  que informou que já está apurando o ocorrido, e que oficiou a Funai e a Polícia Federal para que tomem as medidas necessárias para a manutenção da ordem e do diálogo na comunidade indígena.

A reportagem também entrou em contato com a Fundação Nacional de Índio (Funai),  e Polícia Federal e aguarda retorno.

Matéria atualizada às 12h06 com o posicionamento do MPF

Por Folha Web      Em 03/06/2020 às 09:40

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.