Roraima quer fim de bloqueio de rodovia por índios

14 de Fevereiro de 2008  - Jaime de Agostinho

O governo de Roraima vai entrar na Justiça para pôr fim ao bloqueio de uma rodovia federal importante e que se repete todas as noites.    

A reserva indígena Waimiri-Atroari fica na divisa dos estados de Amazonas e de Roraima. A BR-174 atravessa cerca de 125 quilômetros da reserva.

Desde o fim da década de 1990, os índios controlam a entrada e a saída de veículos. Ônibus interestaduais e caminhões com carga perecível têm tráfego liberado, mas os demais veículos esperam horas na rodovia interditada.

O fechamento da estrada traz prejuízos para a economia do estado de Roraima. Segundo o Secretario de Planejamento, Jaime Agostinho, há um importante fluxo de turistas entre Boa Vista e Manaus.

Para os índios, o tráfego de veículos é uma ameaça por causa do risco de atropelamentos de integrantes das aldeias e de animais que servem para a caça. A interdição da estrada também é considerada uma medida de segurança, pois os índios também não querem ser fotografados ou filmados.

Das 18h às 6h, a BR-174 é fechada com cones e uma corrente. Os veículos que chegam têm de retornar.

G1 > Brasil – NOTÍCIAS – Roraima quer fim de bloqueio de rodovia por índios 

VER MAIS EM:

http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL298290-5598,00-RORAIMA+QUER+FIM+DE+BLOQUEIO+DE+RODOVIA+POR+INDIOS.html

http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL578221-10406,00-CONTRA+BLOQUEIO+DE+RODOVIA.html

O governo de Roraima vai entrar na Justiça para pôr fim ao bloqueio de uma rodovia federal importante, que se repete todas as noites. Veja na reportagem de Wagner Pessoa e Luciano Abreu.

A reserva indígena Waimiri-Atroari fica na divisa de Amazonas e Roraima. A BR 174 atravessa 125 quilômetros da reserva.

Desde o fim da década de 90, os índios controlam a entrada e a saída de veículos. Ônibus interestaduais e caminhões com cargas perecíveis têm tráfego liberado. Os demais enfrentam horas de espera na rodovia interditada.

“Um dia parado de trabalho custa R$ 500”, afirma um caminhoneiro. O fechamento da estrada traz prejuízos para a economia do estado. “Nós temos um fluxo turístico muito importante em Manaus, Boa Vista e Venezuela”, diz Jaime Agostinho, secretário adjunto de Planejamento.

Para os índios, os veículos são uma ameaça por causa do risco de atropelamentos de integrantes das aldeias e de animais que servem para a caça e também por uma medida considerada de segurança: os índios não permitem ser filmados ou fotografados.

De 18h a 7h, a BR é fechada pelos Waimiri-Atroari com cones e uma corrente. Quem chega é obrigado a retornar.

“É um absurdo. Uma redovia Sonora – alexandre coelho – motorista de caminhão – ele diz que vai precisar voltar e alugar um local num hotel

A 150 metros, está a barreira da reserva Waimir-Atroari. São 5h, e os caminhoneiros precisam aguardar 10, 12 horas, até que a rodovia possa ser liberada novamente.

O governo do estado de Roraima vai entrar com uma ação na Justiça para acabar com bloqueio da estrada.


Palavras-chave: , , , , ,


Deixe um comentário

*