Novo volume da Coleção “Povos Tradicionais e Biodiversidade”

Quinzenalmente, uma nova seção das dezessete que compõem o projeto será disponibilizada gratuitamente no portal da SBPC 

Comunidades Tradicionais é o título do novo volume da coleção Povos Tradicionais e Biodiversidade no Brasil. Este volume integra a Seção de Pesquisas Interculturais, em que serão ainda publicados dois volumes: Povos Indígenas e Quilombolas.

O volume reúne cinco experiências de povos que se inter-relacionam com biomas diversos, com histórias e identidades próprias, como os Caiçaras da Jureia, na Mata Atlântica, litoral sul do Estado de São Paulo; as Comunidades de fundo de pasto, na caatinga, no estado da Bahia; as Comunidades vazanteiras e as Comunidades geraizeiras, no cerrado, na Bacia do rio São Francisco, estado de Minas Gerais; e as Quebradeiras de coco babaçu, na Amazônia, estados do Maranhão e Pará.

A publicação evidencia a riqueza e pluralidade de conhecimentos detidos e produzidos pelas Comunidades Tradicionais; as variadas formas de organização social e de uso do ambiente; as práticas e sistemas de produção que resultam em contribuições para a biodiversidade; assim como as políticas públicas e legislação ambiental que ameaçam a reprodução dessas sociedades e a conservação de seus territórios.

Acesse aqui o volume.

Sobre a Coleção

A obra completa, com 17 seções é coordenada por Manuela Carneiro da Cunha (USP e Universidade de Chicago), Sônia Barbosa Magalhães (UFPA) e Cristina Adams (USP). Segundo as coordenadoras do projeto, o estudo compõe um acervo importantíssimo, não só para os tomadores de decisão, mas também para os povos tradicionais e cientistas de muitas áreas.

Trata-se de uma síntese das contribuições dos povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais no Brasil para a geração e conservação da biodiversidade, além de outros serviços ecossistêmicos; das políticas públicas que os afetam positiva ou negativamente e dos conflitos e ameaças a que estão sujeitos. A pesquisa traz ainda avaliações e recomendações de órgãos internacionais acerca de compromissos assumidos pelo Brasil.

O trabalho é resultado de uma encomenda do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), viabilizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), complementado pelo apoio de um doador (que quis permanecer anônimo) e com contribuição da Plataforma Brasileira de Serviços Ecossistêmicos (BPBES).

Dirigida a tomadores de decisão de todos os níveis, a projeto segue as orientações da Plataforma Intergovernamental de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES). “O objetivo é reunir e resumir o conhecimento atual referenciado por fontes acessíveis ao público”, enfatizam as coordenadoras.

A SBPC publicará quinzenalmente em seu site um novo volume da publicação e uma vez por mês realizará um webinário para debater os estudos apresentados no período, pelo seu canal no YouTube (@SBPCnet).

Confira abaixo a estrutura da obra:

Povos Tradicionais e Biodiversidade no Brasil. Contribuições dos Povos Indígenas, quilombolas e Comunidades Tradicionais para a biodiversidade, Políticas e Ameaças.

Parte I. Territórios E Direitos Dos Povos Indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais

Parte II. Contribuição Dos Povos Indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais À Biodiversidade

Parte III. Políticas Públicas Direcionadas aos Povos Indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais

  • Seção 9. Incentivos ao Uso da Terra e Produção
  • Seção 10. Políticas Educacionais, de Saúde e Proteção Social

Parte IV. Políticas Públicas que Ameaçam os Povos Indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais

  • Seção 11. Projetos Econômicos e de Infraestrutura
  • Seção 12. Conflitos
  • Seção 13. Ameaças

Parte V. Avaliações Internacionais

Parte VI. Pesquisas Interculturais

PUBLICADO POR:      JORNAL DA CIÊNCIA SBPC  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: