Funai promove retorno de famílias indígenas à Terra Indígena Yanomami

Cerca de 50 indígenas que estavam em situação de vulnerabilidade social em Boa Vista (RR) receberam apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai), por meio Coordenação da Frente de Proteção Etnoambiental Yanomami e Ye’kuana (CFPEYY), para o retorno à Terra Indígena Yanomami, localizada no estado de Roraima.

Equipes da Funai durante a operação de transporte dos indígenas entre a cidade de Boa Vista e a Terra Indígena Yanomami, estado de Roraima (foto: Frente de Proteção Etnoambiental Yanomami e Ye’kuana)

Realizada no último dia 4, a logística do transporte utilizou três camionetes da Frente de Proteção Etnoambiental para levar os indígenas até a margem leste da Terra Indígena. A ação contou com a parceria do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Yanomami e da Hutukara Associação Yanomami (HAY).

A Funai também forneceu combustível para o deslocamento fluvial e gêneros alimentícios aos indígenas. O DSEI Yanomami contribuiu com um micro-ônibus para o transporte nos trechos onde não foram exigidos veículos de tração nas quatro rodas. Já a Hutukara Associação Yanomami doou materiais de uso cotidiano como roupas, redes, ferramentas, itens para pesca, panelas, chinelos, lanternas e pilhas.

Antes do retorno à Terra Indígena, os indígenas estavam acampados na Casa de Apoio ao Estudante e da Cultura Indígena no campus Universidade Federal de Roraima. No local, ainda no dia 2 de agosto, tanto os adultos quanto as crianças passaram por atendimento da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), por meio da atuação de servidores do DSEI com acompanhamento de servidores da Funai.

De acordo com o auxiliar em Indigenismo da Frente de Proteção Etnoambiental, Anderson Andrade Vasconcelos, mesmo com o empenho das equipes da Funai e DSEI para que todos os indígenas regressassem à Terra Indígena, parte do grupo permaneceu em Boa Vista. “Trata-se de duas famílias Yanomami da subetnia Yawari, que, devido a conflitos com outros grupos ocorridos no passado, decidiram residir fora da Terra Indígena”, explica o servidor da Funai.

“Por serem indígenas de recente contato, eles não possuem conhecimentos sobre os costumes da sociedade envolvente. Por isso a Funai tem empreendido esforços na busca de uma solução, o que envolve outros parceiros como o DSEI Yanomami, o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), as associações representativas das comunidades Yanomami e o Conselho Tutelar para mitigar a situação de vulnerabilidade social em que estas famílias se encontram”, pontua Vasconcelos.

Assessoria de Comunicação / Funai – com informações da Frente de Proteção Etnoambiental Yanomami e Ye’kuana (CFPEYY) 

PUBLICADO POR:    FUNAI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*