Cheia de rios no Amazonas provoca perdas financeiras para agricultores

A cheia dos rios no Amazonas já provocou prejuízos e perdas financeiras para os agricultores em 15 municípios do Estado. As produções agrícolas mais afetadas ficam nas regiões dos rios Purus, Juruá, Madeira e médio Solimões.

Morador do município de Manicoré, o agricultor Carlos André Rodrigues conta que cerca de 70% de toda sua plantação foi atingida pelas águas do Madeira. Ao todo, a produção de mais de 9 mil famílias da região está sendo afetada pelo aumento do nível dos rios.

De acordo com o Idam, Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas, o prejuízo pode chegar a R$ 100 milhões. O diretor-presidente da entidade, Waldenor Pontes Cardoso, revela que, só no município Boca do Acre, trezentos mil pés de bananeiras foram perdidos, além de plantações de cacau.

Ainda segundo Waldenor Pontes, para ajudar as famílias foram distribuídos 92 mil cartões sociais no valor de R$ 600,00 para os agricultores. Ele também afirma que os financiamentos para produção serão anistiados.

Todos os municípios da calha do rio Juruá seguem em estado de emergência e estão recebendo ajuda humanitária da Operação Enchente, realizada pelo governo do estado.

No início da semana, o Serviço Geológico do Brasil alertou que o Amazonas deve registrar cheias severas em 2021. A capital Manaus e os municípios de Manacapuru e Itacoatiara estão em alerta para cheias entre junho e julho.

Publicado em 10/04/2021 – 10:25 Por Kariane Costa, Repórter da Rádio Nacional – Brasília – Edição: Bianca Paiva/ Beatriz Arcoverde – RADIOAGÊNCIA NACIONAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*