Militares retomam operações contra garimpo ilegal na Terra Indígena Munduruku, no Pará

A suspensão das ações de fiscalização e combate ao garimpo ilegal na Terra Indígena Munduruku, no oeste do PA, durou apenas um dia. Na 6ª feira (7/8), o Ministério da Defesa anunciou a retomada dos trabalhos, que tinham sido suspensos depois da visita do ministro Ricardo Salles ao município de Jacareacanga, onde conversou com garimpeiros que protestaram contra a atuação dos militares na região.

CLIMAINFO

O Ministério Público Federal no Pará classificou a decisão inicial de suspender ações de fiscalização contra o garimpo na TI Munduruku como “surreal”, de acordo com O Globo. “A postura da União, por meio de seus agentes, demonstra que não há interesse em coibir, voluntariamente, a prática de garimpagem ilegal e inconstitucional na TI Munduruku”, disseram os procuradores em documento obtido pelo jornal. Eles também criticaram o encontro de Salles com garimpeiros, que teria acontecido “ao arrepio das leis ambientais e da Constituição”, e condena o fato de o ministro ter concordado com a legalização de infrações ambientais.

Ao anunciar a retomada das operações, a pasta da Defesa confirmou também que um grupo de indígenas Mundurukus se reuniu com representantes do Ministério do Meio Ambiente em Brasília, transportados pela Força Aérea.

A Veja repercutiu o vai-e-volta da Defesa e destacou o desentendimento entre o Ibama, responsável por ações antigarimpo recentes na região, e os militares que atuam no âmbito da Operação Verde Brasil 2. Em outra matéria, a revista abordou os bastidores da operação e a pressão dos garimpeiros que atuam ilegalmente na TI Munduruku, revoltados com a destruição do maquinário por parte dos fiscais.

O governo federal tem usado esse caso em particular como um argumento em favor da regularização de atividades de mineração em TI. Em entrevista à Jovem Pan, Salles reforçou esse ponto ao dizer que “em vários lugares, são os próprios índios que garimpam” e que os governos anteriores não se preocuparam em “regulamentar as coisas e quando você finge que não há problema, ele só cresce”. Mourão foi na mesma linha: “Os garimpeiros são os indígenas que moram lá. Inclusive, é muito bom para desmontar a teoria daquela turma que acha que o índio tem que viver segregado na mata e não ter meio de subsistência. Ele (índio) vai buscar o meio de subsistência dele”, disse a jornalistas.

ClimaInfo, 10 de agosto de 2020.

Se você gostou dessa nota, clique aqui para receber em seu e-mail o boletim diário completo do ClimaInfo.

PUBLICADO EM:                CLIMAINFO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.