*AmA Zônia*

Quem em sã consciência iria imaginar que o Presidente Bolsonaro em 8 meses de governo, conseguiria o apoio da Europa e de todos os países do primeiro mundo, G7, G20, G30, G100, etc? Até o Macron e a Ângela Merckel se dispuseram a oferecer dinheiro.

Gostaria imensamente de acreditar e imaginar que esses paladinos defensores da flora, fauna e dos povos da floresta, com seus micos leões, peixes bois e suas antas, realmente estão preocupados com o fogo na mata!!!

Se ao final ficar comprovado, que tudo não passou de um discurso dissimulado, uma cortina de fumaça para encobrir os seus mais mesquinhos interesses pelas nossas inocentes “Virgens dos Olhos de Mel”, ou seriam, Virgens dos olhos de nióbio, ouro, esmeralda, diamante, petróleo, etc.

Ficarei ainda mais decepcionado ao constatar que padres, pastores, políticos e mais uma infinidade de ONG’s de almas altamente espiritualizadas, estejam a serviço do lúcifer, para explorar as riquezas dessa …ZÔNIA.

Já ludibriaram os JURUNAS da vez, quando o Anhanguera colocou fogo no álcool e ameaçou os incautos de que, se não mostrassem onde ficavam as minas de ouro, ele incendiaria todas as águas dos rios e todos morreriam de sede. Pelo visto o ato de tocar fogo continua atormentando e assombrando a nossa tribo até os dias de hoje!!

Agora, imaginando que tudo foi apoiado, patrocinado e orquestrado pelas multinacionais e governos estrangeiros, juntamente com muitos dos nossos políticos opositores de tudo e todos, principalmente, pelos que foram desmamados por aproximadamente 55 milhões de votos.

Hoje, a imprensa e suas diarreias cerebrais, divulga somente o que objetivar a desmoralização dos poderes constituídos, atribuindo-lhes a culpa pelo fogo na floresta e culpando o governo por todas as mazelas que vem desde os tempos do Cabral. Infelizmente é cultural limpar as áreas colocando fogo, sendo essa a forma mais rápida de se abrir novas fronteiras agrícolas.

Se foi algo orquestrado pela nova geração de políticos terroristas do zap-zap, mais uma vez o tiro saiu pela culatra, igualmente a guerrilha do Araguaia, aonde alguns aloprados venderam a fala para os Russos e Fidel, só que esqueceram de combinar com Macunaíma, para que ele fosse lutar na guerra.

E deu no que deu. Uns poucos Tabajaras foram presos, outros deram no pé, etc. Enfim, e por fim. Quem imaginaria que o presidente com toda a sua forma peculiar de se comunicar iria conseguir em oito meses de gestão, ou seria indigestão da oposição, militarizar cerca de 50% do território nacional com o apoio de todos, estados, governadores, políticos e demais envolvidos? Resumindo, todos pedindo pelo amor a qualquer coisa, para que as Forças Armadas interviessem. Isso sem falar de toda a comunidade internacional! Isso sem um único tiro, e ainda, tem muitos “inteligentes de gabinete”, que o chamam de burro, grosso, que só fala coisas desconexas, etc, etc. Imagina só, se ele fosse inteligente! Fez, em poucos meses o que ninguém conseguiu, tampouco conseguiria, sem provocar guerra.

Agora, se ele quiser, pode determinar o controle rigoroso em todos os portos, aeroportos, rodovias, ferrovias de todos os estrangeiros, ONG’s, padres, pastores, empresários e arapongas disfarçados de diplomatas. Aí sim poderemos repetir a frase de um velho índio das missões gaúchas, que um dia gritou aos quatro cantos: – “Esta terra tem dono…”

Parabéns ao setor de inteligência que assessora o presidente, pois, se foi ou não dessa forma, é assim que se trabalha.

Se o incendiário foi a esquerda, a direita ou as potências estrangeiras, o tiro saiu pela culatra, pois agora, algo inimaginável aconteceu e o Presidente Bolsonaro nem precisou fazer muita coisa, uma vez que até a sua oposição pediu pela intervenção militar nesta …ZÔNIA!!!

Ainda assim, num futuro próximo, alguns vão alegar que tudo não passou de um GÓPI…

Por – Alceu Prestes de Mattos

NOTA

A equipe do ECOAMAZÔNIA esclarece que o conteúdo e as opiniões expressas nos artigos são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião deste ‘site”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.