ICMBio reforça combate ao fogo na Amazônia

Agentes e brigadistas do Instituto participam da Operação Verde Brasil, esforço institucional para extinguir os focos de incêndio que atingem há algumas semanas estados da região.

Brigadas do ICMBio que integram a Operação Verde Brasil na Floresta Nacional de Jacundá, em Rondônia – Crédito: Arquivo/ICMBio

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) está presente na Operação Verde Brasil, ação do governo federal para combater incêndios florestais que atingem a Amazônia Legal ao longo dos últimos dias. O Instituto se junta aos 43 mil militares das Forças Armadas que foram autorizados pelo presidente Jair Bolsonaro na última sexta-feira (23) a participar do combate aos focos de incêndio no Norte do País.

Além das Forças Armadas, foram mobilizados brigadistas do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), parceiro do ICMBio no combate a incêndios, bombeiros militares dos estados e 30 bombeiros da Força Nacional que possuem experiência em emergências ambientais.

A Operação é comandada pela 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Bda Inf Sl) em sua área de responsabilidade (Rondônia e Acre) em continuidade à Operação Jequitibá, ocorrida na Floresta Nacional de Jacundá.

Em Rondônia, o ICMBio faz parte do Comando Unificado junto ao Corpo de Bombeiros Militares e Ibama. Nessa área, o incêndio está no nível 3 de acionamento, quando são mobilizadas forças nacionais. São três setores: base no distrito de Rio Branco, Floresta Nacional de Jacundá e Terra Indígena Tenharim Marmelos.

O governo federal disponibilizou R$ 38,5 milhões para atender de forma emergencial o combate ao fogo na Amazônia. Dentre outros custos, a verba é utilizada para suprir a necessidade com toda a estrutura necessária ao combate a incêndios: viaturas para o transporte de tropas, veículos aéreos para transporte a locais inacessíveis ou lançamento de água, materiais de combate diversos.

Dois aviões C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) estão na operação: um usado para lançamento de água e outro para transporte de tropas.

Em Brasília, o ICMBio também participa do Centro de Operações Conjuntas (COC) que acompanha diariamente as ações na Amazônia. Técnicos e especialistas se revezam 24 horas por dia monitorando as informações das frentes de combate e coordenando operacionalmente o trabalho de todos os órgãos envolvidos.

A Operação Verde Brasil reitera os compromissos historicamente assumidos pelo Brasil de proteger e preservar a Amazônia e sua rica biodiversidade. O Brasil empreende todas as forças disponíveis no combate aos incêndios, principalmente pelo fato da Amazônia ser um bioma muito sensível ao fogo. Por isso, trabalha também na apuração e investigação de incêndios criminosos que constituem ilícitos ambientais passíveis de processos administrativos e criminais.

SECA

O período de seca, que começou em meados de julho e vai até outubro, costuma ser um momento crítico. Devido às altas temperaturas, baixa umidade e ventos fortes, o fogo se espalha com maior facilidade, inclusive “saltando” por rodovias. Por isso, o ICMBio se prepara previamente com diversas ações que vão da capacitação a trabalhos práticos, especialmente em unidades de conservação do Cerrado.

A principal estratégia adotada é a do Manejo Integrado do Fogo, que, dentre outras medidas, realiza queimas prescritas, com a intenção de diminuir o material combustível para a época da seca. Neste ano, o Instituto contratou 1.170 brigadistas para atuar nas unidades de conservação.

. Clique aqui e confira vídeo com coordenador de Prevenção e Comabate a Incêndios Florestais e presidente do ICMBio sobre a Operação Verde Brasil.

Ascom MMA – (61) 2028-1227 – com informações do ICMBio   

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.