Rompimento de barragem em Rondônia foi impulsionado por desmatamento, diz pesquisadora

Machadinho D’Oeste faz parte do arco de desmatamento amazônico. Barragem rompeu na última sexta-feira (29), no distrito de Oriente Novo.

Barragem em Machadinho D’Oeste rompeu na sexta-feira (29) — Foto: Polícia Ambiental/ Divulgação

O desmatamento na região de Machadinho D’Oeste (RO), pode ser o principal causador do rompimento da barragem de mineração de cassiterita no distrito de Oriente Novo, segundo pesquisadores.

A doutora em Geotecnologias e pesquisadora do Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia (Rio Terra), Fabiana Gomes, desenvolveu um estudo para entender a vulnerabilidade da região em decorrência de fatores que levam a erosão.

De acordo com o estudo, Machadinho faz parte do arco de desmatamento amazônico e está inserido na bacia do rio Machado. A exploração ilegal dessa área levou a degradação ambiental e social da região, acelerando processos erosivos.

As voçorocas são comuns no local, esse fenômeno geológico consiste na formação de valas naturais. Por causa delas, buracos com mais de sete metros, já foram encontrados no município. Com o desmatamento, retira-se a proteção natural, causando a vulnerabilidade do solo.

“O que aconteceu em Machadinho foi um conjunto de coisas, não somente a questão da barragem. O relevo é ondulado, a chuva vinha se acumulando em uma parte mais alta do município e em decorrência desse acumulo ela agora veio carregando várias coisas no meio do caminho”, diz Fabiana Gomes.

A pesquisadora explica que a água da chuva poderia ter sido retida pelas árvores. As raízes dessas árvores poderiam ter segurado o sedimento da barragem.

“A gente ocupa a beira do rio, a gente desmata e dá outros usos para a natureza. E a água que poderia ser segurada não encontra mais a barreira natural. O que pode ter intensificado é o desmatamento. A vegetação segura muita coisa então quando você altera, muda a capacidade de suporte do ambiente. Tinha uma vegetação que segurava, mas agora não tem mais nada”, comenta a pesquisadora.

Machadinho D’Oeste ocupava em 2007 o 15º lugar no ranking de municípios que mais desmatam no Brasil, segundo o Ministério do Meio Ambiente. Uma pesquisa divulgada em 2018, diz que a Floresta Amazônica pode virar cerrado por causa do desmatamento. Atualmente, a área desmatada corresponde a 18%.

“Temos que pensar na questão ambiental e não só na questão econômica. Hoje as comunidades estão sofrendo com o isolamento porque as pontes foram levadas pela água”, comenta Fabiana.

Até o momento, cerca de 100 famílias ficaram isoladas em Rondônia devido ao rompimento de uma barragem em Oriente Novo, distrito de Machadinho D’Oeste, a pouco mais de 350 quilômetros de Porto Velho. Não há registro de vítimas e nem informações sobre o tamanho do dano ambiental.

Por: Ana Kézia Gomes
Fonte:
G1   VIA

VER MAIS EM:

    

     

   

  

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.