Batalhão ambiental ganha base fluvial no Amazonas

Com investimento de R$ 3,7 milhões, o Amazonas ganha do Ministério do Meio Ambiente, uma base fluvial e mais seis botes de policiamento para equipar o Comando de Policiamento Ambiental (CPAmb). A entrega foi feita nesta manhã (28), pelo governador em exercício, José Melo, ao Comandante do Batalhão Ambiental, Coronel Jânio Pereira.

Com a finalidade de ajudar a coibir os crimes de transporte ilegal de pescado, de madeira e tráfico de drogas nos rios e igarapés dos municípios da região metropolitana de Manaus, os equipamentos serão utilizados inicialmente por 30 homens do batalhão, mas há expectativa de que mais 30 policiais sejam incorporados ao batalhão em breve.

“São três lanchas com motor 115 HP, ideias para navegação em rios largos e profundos, e três lanchas com motor 40 HP, para igarapés mais rasos. Com esses equipamentos teremos condições de atuar nos municípios próximos, e até deslocar a estrutura para outras localidades, como Parintins, por exemplo, durante o festival, se houver necessidade”, comenta o comandante da Companhia Fluvial da PM Ambiental, tenente Bruno Pereira.

Além das lanchas, foi entregue também, uma balsa que ainda não tem local definitivo para ficar ancorada. De acordo com o comandante geral da Polícia Militar, Almir David, o local poderá ser próximo à ponte sobre o Rio Negro, mas ainda dependerá de avaliação da Marinha. O investimento final de R$ 3, 7 milhões foi ratiado em R$ 1,6 mi para a compra da Balsa, R$ 400 mil para as lanchas, e R$ 1,7 mi em equipamentos ao Batalhão Ambiental.

“Sem dúvida é uma base que ajudará muito no apoio logístico da PM, com acesso mais rápido à criminalidade fluvial, com grande capacidade de levar policiamento e equipamento, para as operações nos municípios”, argumenta Almir David.

Faltam policiais

Para o comandante do Batalhão Ambiental, coronel Jânio Pereira, as novas unidades serão importantes no combate aos ‘barriga d’água’, como são conhecidos os assaltantes de embarcações e lanchas dos rios do Amazonas. Outra função destacada pelo comandante, é o aumento da velocidade no atendimento de chamados próximos à Manaus.

Por outro lado, Jânio Pereira, reconhece que mesmo com o investimento em novos equipamentos, o batalhão ainda sofre com o baixo efetivo de policiais. “A demanda de ilícito ambiental é muito grande em nosso Estado, e nós temos um efetivo relativamente pequeno”, disse.

Com apenas 110 policiais para atender o Amazonas, a expectativa do Batalhão Ambiental, é que pelo menos 50 policiais aprovados no último concurso da PM, sejam treinados para ingressar no Ambiental até o final do ano.

 

Fonte: D24am

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.