Mourão nega destruição da Amazônia e diz que acordo entre Mercosul e UE ‘começa a fazer água’

RIO – O vice-presidente Hamilton Mourão classificou como “surreal” a forma como as notícias sobre incêndios na Amazônia são divulgadas. “Segundo os dados de 26 de agosto, existem 24 mil focos de calor na Amazônia. São 24 mil em 5 milhões de quilômetros quadrados, um incêndio a cada 200 quilômetros quadrados.

O vice-presidente da República Hamilton Mourão preside o Conselho da Amazônia.
© Dida Sampaio/Estadão O vice-presidente da República Hamilton Mourão preside o Conselho da Amazônia.

É surreal como isso é colocado para as pessoas”, afirmou Mourão, que é chefe do Conselho da Amazônia, grupo criado pelo governo federal para combater a destruição da floresta e incentivar atividades ecologicamente corretas. “E 17% desses incêndios são legais. Sabemos muito bem onde estão ocorrendo (os incêndios ilegais).”

As afirmações foram feitas durante o webinar “Brasil: Futuro Econômico”, promovido pela Federação das Câmaras de Comércio Exterior, Confederação Nacional do Comércio (CNC) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ).

Questionado sobre comércio exterior, ele disse que em função da pandemia de covid-19, o ambiente de negócios está mudando e o Brasil precisa aproveitar a chance para ampliar seus mercados: “A participação do Brasil no comércio (mundial) é muito pequena, cerca de 1%. Temos uma imagem ainda abalada por preconceitos, mas é hora do País se posicionar melhor nas cadeias de comércio.” Segundo ele, o que importa é o resultado comercial, não “a orientação ideológica” do parceiro.

Mourão citou a crise econômica vivida pela Argentina, principal parceiro comercial do Brasil na América do Sul, e disse que o acordo econômico entre Mercosul e União Europeia “começa a fazer água”. Por isso, segundo ele, é importante que o Brasil mantenha canais diretos de negociação com a União Europeia.

Fábio Grellet    

PUBLICADO EM:   MSN NOTÍCIAS      ESTADÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.