Avisos Hidroceanográficos Fluviais “Rio Negro” e “Solimões” realizam comissão para finalizar último trecho de sondagem do Rio Solimões

Os Avisos Hidroceanográficos Fluviais “Rio Negro” e “Solimões”, subordinados ao Centro de Hidrografia e Navegação do Noroeste (CHN-9), desatracaram, no dia 8 de junho, para realizar as comissões Levantamentos Hidrográficos Solimões I e II (Adestramento de Comandantes).   

Aviso Hidroceanográfico Fluvial “Rio Negro” abarrancado nas proximidades de Manacapuru-AM

As comissões têm como objetivo realizar a sondagem no Rio Solimões, no trecho compreendido entre Anori-AM e sua foz, além de proporcionar adestramento e reconhecimento da área aos comandantes nomeados.

Ao término da sondagem, os Levantamentos Hidrográficos gerarão subsídios para a atualização das cartas náuticas 4051, 4052, 4053 e 4032, concluindo a sondagem do Rio Solimões, de Tabatinga-AM até a foz, no Rio Amazonas.

Área Sondada

O Rio Solimões, com cerca de 1.600 Km de extensão, tem início na Tríplice Fronteira do Brasil com o Peru e a Colômbia e percorre os municípios de São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Içá, Tonantins, Jutaí, Fonte Boa, Alvarães, Tefé, Coari, Codajás, Anamã, Anori e Manacapuru até encontrar o Rio Negro, nas proximidades de Manaus, formando a partir de então o Rio Amazonas.

De acordo com o Comandante do Aviso Hidroceanográfico Fluvial Rio Negro, Capitão-Tenente Gabriel Lima Barbosa, o planejamento, a execução de Levantamentos Hidrográficos e de manutenção dos Auxílios à Navegação, realizados pela Marinha são importantes para a definição do canal de navegação e no estabelecimento de uma rota segura às embarcações. “Na Região Amazônica, devido às alterações constantes de batimetria e da linha de costa, os Levantamentos Hidrográficos tem importância elevada no que concerne à segurança da navegação”, destaca.

III Plano Cartográfico Náutico Brasileiro (PCNB)

O Decreto-Lei nº 243, de 28 de fevereiro de 1967, em seu Art. 9º, define que “a Cartografia Sistemática Náutica tem por fim a representação hidrográfica da faixa oceânica adjacente ao litoral brasileiro, assim como dos rios, canais e outras vias navegáveis de seu território, mediante séries padronizadas de cartas náuticas.

O propósito do III PCNB é consolidar os planos cartográficos náuticos brasileiros existentes e outros previstos, de modo a orientar o processo de atualização cartográfica por meio de atribuição de prioridades e de um cronograma de trabalho plurianual.

O Diretor do CHN-9, Capitão de Fragata Paulo Roberto Costa Junior, destaca que a hidrovia do Rio Solimões é uma das mais importantes da Bacia Amazônica e possui um impacto significativo para o comércio da região, promovendo o desenvolvimento social e econômico dos municípios lindeiros. “É a principal rota para o tráfego de gás natural e petróleo de Urucu (em Coari-AM) até Manaus. Além disso, possui uma importância estratégica para a Marinha, onde são realizadas ações de Patrulhas e inspeções navais e comissões de Assistência Hospitalar para população ribeirinha”.

Os Levantamentos Hidrográficos realizados pelos meios subordinados ao CHN-9 constituem um trabalho técnico, de alta complexidade e extrema importância que contribuem para o aumento da segurança da navegação na Amazônia Ocidental.

Diretor do CHN-9, Capitão de Fragata Costa Junior ,e o Comandante do Aviso Hidroceanográfico Fluvial “Rio Negro”, Capitão-Tenente Gabriel Lima Barbosa, durante análises das Cartas Náuticas da região

PUBLICADO EM:    MARINHA DO BRASIL    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.