Amazônia – A mistura explosiva de fogo e covid-19

“Fumaça das queimadas aumenta internações e óbitos relacionados a síndromes respiratórias”, escreve o engenheiro florestal Tasso Azevedo, em artigo para O Globo.

Uma tempestade perfeita está se formando na Amazônia, com potencial devastador para a saúde: a mistura da pandemia de Covid-19 com as queimadas.

Todos os anos, entre julho e novembro, acontece a temporada de queimadas em grande escala na Amazônia. A fumaça gerada pelas queimadas aumenta de forma crítica os casos de internação e óbitos relacionados a síndromes respiratórias, como mostram os estudos do Observatório de Clima e Saúde da Fundação Oswaldo Cruz. Em 2019, por exemplo, as regiões onde se concentraram as queimadas tiveram quase o dobro do índice de internação de crianças (0-10 anos) com insuficiência pulmonar em relação às regiões sem queimadas.

Veja o texto na íntegra: O Globo

PUBLICADO EM: JORNAL DA CIÊNCIA 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.