INPE e Censipam discutem cooperação para aperfeiçoar o monitoramento da Amazônia

Imagem INPE e Censipam discutem cooperação para aperfeiçoar o monitoramento da Amazônia

Os diretores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Darcton Damião, do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), José Hugo Volkmer, e equipes técnicas das duas instituições realizaram uma reunião por videoconferência, na última sexta-feira (24/04), com o objetivo de reunir esforços para integrar ferramentas de monitoramento do território, cujos dados subsidiam ações de combate a crimes ambientais na Amazônia.

O INPE é responsável pelos dados de desmatamento da Amazônia, por meio dos sistemas DETER e PRODES e o Censipam é a instituição coordenadora da subcomissão de Integração de Sistemas do Conselho da Amazônia Legal. O Conselho conta com a participação de 14 ministérios, entre estes o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), ao qual o INPE é vinculado.

O INPE utiliza satélites óticos para detectar o desmatamento e o Censipam emprega satélites com radar de abertura sintética (do inglês synthetic aperture radar – SAR). Os sistemas são complementares e podem ser utilizados para aperfeiçoar o monitoramento do desmatamento da Amazônia. Segundo Darcton Damião, “a reunião foi um ponto de partida para desenvolver uma cooperação na qual as duas instituições irão integrar o que sabem fazer de melhor e dar condições para aperfeiçoar o controle e o combate ao desmatamento na região.

A partir da reunião, serão elaborados os termos da cooperação entre as duas instituições. O INPE indicará um servidor para participar de equipe multidisciplinar que ficará sediada no Censipam, e que terá como objetivo integrar diferentes bases de dados e informações para direcionar as ações do Conselho da Amazônia. A equipe multidisciplinar também será composta por servidores de outros órgãos, como Ibama, Funai e ICMBio.

FONTE: INPE
Logo INPE © Todas as matérias e imagens poderão ser reproduzidas, desde que citada a fonte.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.