Operação Labareda – Ibama reforça fiscalização contra desmatamento na Amazônia

O Ibama reforça nos próximos dias a Operação Labareda, contra o desmatamento ilegal na Amazônia, após uma intensificação no mês de agosto. Serão alocados 350 fiscais em áreas específicas para o combate ao desmatamento na região. A operação está em andamento desde julho e a medida deve impedir que desmatamento ilegal persista na região.Como ocorrida no ano passado em Mato Grosso, foi feita uma convocação nacional para a Amazônia e espera-se que também se reduza de pronto os níveis de desmatamento na região.

“A Amazônia é muito grande, mas o Ibama tem estudos que mostram que o desmatamento se concentra em algumas áreas muito específicas”, disse o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Ramiro Hofmeister Martins-Costa. Segundo ele, são áreas prioritárias o eixo da BR163 no Pará, a Floresta Nacional Jamanxim, o sul da Amazônia, Rondônia, e algumas regiões importantes do Mato Grosso. “Nós não precisamos olhar para a Amazônia do ponto de vista do tamanho dela, mas de onde está concentrado o problema. E aí, nós centramos os nossos esforços.”

Informações de inteligência do Ibama apontam que há polígonos de desmatamentos, principalmente dentro das unidades de conservação e das florestas nacionais (Flonas) que estão sendo objetos de grilagem. O Ibama irá fiscalizar esses polígonos e, se constatado o desmatamento ilegal, haverá apreensão de bens, apreensão de gado e destruição de maquinários que não tiverem como ser retirados de áreas que estejam trabalhando.

“O resultado que nós queremos é que, na região, nos meses de setembro e outubro, nós consigamos zerar o desmatamento ilegal. O desmatamento só será contido quando a sociedade se envolver. O desmatamento é um pacto social. Nós precisamos da confiança e do apoio da sociedade para dar uma nova realidade para a Amazônia, com produtos valorizados e que não seja criminalizada pelo mundo”, ressalta o diretor.

FONTE  : Ascom Ibama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.