PF reprime trabalho escravo e crimes ambientais

Operação contou com apoio da Marinha do Brasil

Foto: Polícia Federal DPF

Belém/PA. A Polícia Federal deflagrou a operação Redentora 3, nesta quinta-feira, 9/6. Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão na Ilha do Marajó/PA. A ação é de combate a crimes ambientais e para liberar pessoas reduzidas a condição análoga à de escravo nos municípios paraenses de Cachoeira do Arari, Ponta de Pedras e Anajás.

A investigação partiu de denúncias de que pessoas estariam sendo submetidas a trabalhos degradantes, sem condições de higiene, direitos trabalhistas, nem alojamento adequado, bem como a ocorrência de crimes ambientais nos locais alvo da operação. Por ter áreas de difícil acesso, a ação teve apoio de helicóptero da Marinha e viaturas da Polícia Federal para o transporte do efetivo até as fazendas.

Os investigados poderão responder pelo crime de reduzir alguém a condição análoga à escravidão, com pena superior a 12 anos, se forem confirmados menores de idade entre as vítimas; além das penas previstas na lei de crimes ambientais.

O nome da operação remete à Princesa Isabel, conhecida como A Redentora, por ter assinado a Lei Áurea em 1888, que aboliu a escravidão no Brasil.

Essa foi a terceira operação Redentora em 2022 feita pela Superintendência da Polícia Federal no Estado do Pará.

Comunicação Social da Polícia Federal no Pará – DPF – POLÍCIA FEDERAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: