Rebaixamento do Guajará e suspensão temporária da visitação no Parque do Goeldi

Exames recentes confirmam a necessidade do rebaixamento imediato de árvore centenária de grande porte. Processo complexo e extenso, devido a localização, porte da planta e as chuvas de inverno, será feito no mês de fevereiro. Por motivos de segurança, a visitação pública no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi será suspensa no período.

Agência Museu Goeldi – Após análise técnica das condições atuais da árvore centenária de grande porte da espécie Chrysophyllum excelsum Huber (Guajará), o Museu Paraense Emílio Goeldi – MPEG procederá o rebaixamento da planta. Será um processo complexo e que implicará na suspensão temporária da visitação pública no mês de fevereiro no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi.

Em 2021, uma parte do Guajará, elemento de destaque da coleção botânica do Zoobotânico do Museu Goeldi, tombou sobre a Rocinha, principal prédio histórico do MPEG, datado de 1879. Segundo o Corpo de Bombeiros, o galho tombado do Guajará pesava entre 2 a 3 toneladas e danificou uma área correspondente a 160 m2 da Rocinha, que permanece fechada desde então, aguardando recursos para reforma.

Após a queda, o monitoramento do Guajará foi intensificado pela equipe da flora do Parque. Todavia o exame mais recente e completo confirmou a necessidade imediata do rebaixamento da planta. O Guajará é considerada a árvore mais antiga do Parque Zoobotânico, com valor científico e histórico, pois trata-se de um exemplar vivo estudado pelo naturalista suíço Jacques Huber.

O rebaixamento da árvore de 40 metros para um corte a 1,80 m acima do nível do solo é uma operação complexa, e que será efetuada por empresa habilitada – CAEC SERVIÇOS E CONSTRUÇÕES LTDA. O processo contempla poda com supressão, manejo e coleta de todo material vegetal, seguido de descarte do mesmo em local adequado. Além disso, experiências serão desenvolvidas pelo corpo técnico-científico do MPEG envolvendo reprodução vegetativa do Guajará.

Para execução da operação será utilizado caminhão com cesto aéreo Sky/Munck com capacidade de alcançar 40 metros, uso de motosserras, motopodas, cabos de segurança, EPIs, redes de proteção, etc. A operação envolverá dezenas de trabalhadores especializados. Será a primeira vez que será realizada uma operação de rebaixamento de uma grande árvore localizada no centro do Parque, entre duas edificações históricas. Dois outros fatores exigem cuidados nesta operação: a época de chuvas de inverno e as complicações sanitárias decorrentes da Ômicron e o surto de Influenza.

Todos os órgãos governamentais devidos já foram avisados do procedimento.

O Parque Zoobotânico do Museu Goeldi é uma área histórica tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, como também pelo Departamento Histórico, Artístico e Cultural – DPHAC da Secretaria de Estado de Cultura do Pará, e mantém animais e plantas representativos da fauna e flora amazônica. Assim também foram notificados órgãos ambientais como Instituto Brasileiro do Meio Ambiente – IBAMA, Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade – SEMAS e Secretaria Municipal de Meio Ambiente – SEMMA.

A operação de rebaixamento  inicia na primeira semana de fevereiro e está prevista paraser concluída em 20 dias, prazo que pode se estender considerando as chuvas do inverno amazônico. Por motivos de segurança, o Museu Goeldi irá restringir o acesso e a circulação em seu Parque Zoobotânico. Desse modo, a visitação pública no Parque Zoobotânico será suspensa até depois do Carnaval 2022.

PUBLICADO POR:    MUSEU GOELDI   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: