PF combate esquema de comercialização e desmatamento ilegais de terras da União no Acre

PF deflagra Operação Tayassu para desarticular grupo criminoso responsável por invasão e comercialização de terras públicas.

Postada em: Polícia Federal DPF

Rio Branco/AC – A Polícia Federal deflagrou hoje (7/10) a Operação Tayassu, para investigar organização criminosa estruturada para invadir, adquirir, desmatar e comercializar ilicitamente terras de domínio público federal, localizadas na região sul do Estado do Amazonas. A investigação apurou que o grupo criminoso desmatou aproximadamente 1.600 hectares de terras da União, o que equivale a aproximadamente 16 milhões de m².

Mais de 100 policiais federais deram cumprimento, com apoio do IBAMA, a diversas medidas judiciais, como prisões preventivas. Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Rio Branco/AC, Senador Guiomard/AC, Acrelândia/AC, Boca do Acre/AM, Lábrea/AM e Pauini/AM.

De acordo com as investigações, o grupo criminoso contava com a participação de empresários de Rio Branco/AC, além de servidor público do INCRA, que atuava no sentido de “esquentar” a documentação das áreas.  Além disso, foi identificada a participação de um ex parlamentar do Estado do Acre, que teria adquirido parte das áreas griladas e as utilizado para criação de gado.

A Justiça Federal do Amazonas autorizou o bloqueio/sequestro de bens e valores da Organização Criminosa até o valor de R$ 28 milhões. Trata-se do custo estimado pelo laudo pericial da Polícia Federal como o valor do dano ambiental causado.

*** O nome da operação faz referência ao principal núcleo do consórcio criminoso, que é composto por indivíduos atuantes na região Sul do Estado do Amazonas. A alcunha lhes foi atribuída em função de sempre andarem em bando e também pela agressividade em suas empreitadas de desmate. Dessa maneira, a nomenclatura “TAYASSU” é uma alusão direta ao nome científico do mamífero conhecido popularmente como “Queixada”.

Comunicação Social da Polícia Federal no Acre – DPF – POLÍCIA FEDERAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*