8º Tertúlia Portugal Brasil

Será realizada em 20 de fevereiro de 2021 a 8º Tertúlia Portugal Brasil, com o tema  “Mazagão – uma perspectiva arqueológica”

A documentação histórica referente ao abandono da antiga colônia portuguesa de Mazagão, no Marrocos e sua transferência para a Amazônia encontrava eco nas tradições populares mantidas em um pequeno distrito, Mazagão Velho, às margens do rio Mazagão (antes referido Rio Mutuacá). Uma encenação épica, dramatizando combates entre cristãos portugueses e mouros do Marrocos, recriada e mantida pela pequena comunidade a cada mês de julho, mantém viva a história de um ‘povo’ que, forçado, se viu transferido para mundos tão distantes, tão distintos.

A prospecção arqueológica realizada pelo Laboratório de Arqueologia da UFPE revelou a correspondência espacial entre o atual povoado de Mazagão Velho e a antiga ‘Nova Mazagão’.  Dois paredões em ruínas, localizados, à época fora da área ocupada pelo povoado, se mostraram relacionados a uma igreja que ocupou cerca de 600 m2, que ocupara a então praça central da Nova Mazagão.  Alí foram resgatados restos mortais de antigos mazaganenses. Registrou-se ainda, em meio à mata que circunda o povoado, vestígios que sugerem se tratar de ruas e habitações de há muito abandonadas, que integrariam quadras do plano original do século XVIII, quiçá com mais de um século ou mesmo dois séculos, inteiramente em desuso.

8ª TERTÚLIA PORTUGAL/BRASIL

SÁBADO, dia 20/Fev/21,

21:30 – 23:00 (hora de Portugal) / 18:30 – 20:00 (hora de Brasília),

TEMA: “Mazagão – uma perspectiva arqueológica” apresentado pelo arqueólogo Dr. Marcos Albuquerque (*)

Plataforma Zoom:  https://us02web.zoom.us/j/82807927256  

Para referência prévia, consulte: https://www.academia.edu/44469708

(*) MARCOS ANTONIO GOMES DE MATTOS DE ALBUQUERTQUE é Coordenador do Laboratório de Arqueologia do Departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco. Dedica-se a pesquisa arqueológica ininterruptamente desde 1965, quando criou o Laboratório de Arqueologia da UFPE. Doutor em História com área de concentração em Arqueologia. Durante sua formação realizou estágios no Instituto de Alta Cultura de Portugal e na École Pratique des Hautes Études, Sorbonne, Paris. Participa de Bancas Examinadoras de Mestrado e Doutorado em diferentes universidades. Profere conferência em diferentes instituições nacionais e internacionais. Desenvolveu na área da pesquisa a aplicação da radiologia no estudo da cerâmica arqueológica. Encontra-se entre os pioneiros no Brasil no uso da termografia arqueológica.  É consultor Ad Hoc de diversas instituições de pesquisa. Como um dos pioneiros no estudo arqueológico de fortificações e campos de batalha, no Brasil, recebeu do Exército brasileiro as seguintes comendas: Colaborador Emérito do Exército Brasileiro, Medalha Heróis de Casa Forte, Medalha do Pacificador, Ordem do Mérito Militar no Grau de Cavaleiro; Ordem do Mérito Militar no Grau de Oficial.  É Pesquisador Associado do Centro de Estudo e Pesquisa de História Militar do Exército. Recebeu o título de História Viva do Recife pelo Museu da Cidade do Recife; Honra ao Mérito pela Fundação Estadual de Cultura do Amapá; Medalha do Mérito Fernandes Vieira, pelo Museu Militar do Forte do Brum.  No ano de 2004 foi agraciado pelo Conselho Estadual de Cultura de Pernambuco com o título de Cientista do Ano. É membro do Instituto Histórico de Jaboatão, do Instituto Histórico de Vitoria de Santo Antão; Membro do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil. É Membro da Academia de Artes, Letras e Ciências de Olinda; da Academia de História Militar do Paraguai e da Academia de História Militar Terrestre do Brasil. É Membro do International Scientific Committee on Fortifications and Military Heritage (ICOFORT Brasil), e Membro do ICOMOS.

VER MAIS EM:   7ª TERTÚLIA PORTUGAL BRASIL    

Um comentário em “8º Tertúlia Portugal Brasil”

  1. Sou filha natural da na vila histórica de Mazagão velho tenho três décadas que venho vivendo a história de Mazagão velho os casos de descanso mesmo assim somos um povo de fé e tradição vai ser uma hora participar tertúlia Portugal/Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.