IPAM e Eletronorte beneficiam 350 famílias de produtores familiares

O IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) e a Eletronorte firmaram um convênio que está beneficiando 350 famílias em comunidades dos municípios de Pacajá, Aveiro, Itaituba e Santarém, no Pará.

daisy photographed from below

A Eletronorte investiu R$ 3,7 milhões no “Projeto Negócios Familiares Sustentáveis” com o objetivo de implementar estratégias de comercialização e aumento da renda de produção das comunidades. O IPAM está investindo outros R$ 408 mil a título de contrapartida na realização dos serviços de monitoramento e acompanhamento dos resultados até o vencimento do Convênio, firmado em 2018, com vigência de 36 meses.

O projeto faz parte do Programa de Ampliação e Reforços (PAR) e Programa de Investimentos em Modernização de Instalações de Interesse Sistêmico (PMIS), incluindo investimentos sociais de empresas no âmbito da linha ISE. Foram divididos em três subcréditos que contaram com o empréstimo aprovado de R$ 357,8 milhões do BNDES.

No município de Pacajá, localizado na mesorregião do Sudoeste paraense e na microrregião de Altamira, as atividades desse acordo foram realizadas junto aos produtores familiares de seis Projetos de Assentamentos (PAs). A implantação da estrutura para o funcionamento da Feira da Produção Familiar em Pacajá, construída e equipada por meio do Convênio, está beneficiando 100 famílias de produtores, além da aquisição de um caminhão para a cooperativa de produtores.

Feira da Produção Familiar em Pacajá — Foto: Denise Nascimento/IPAM
Feira da Produção Familiar em Pacajá-PA — Foto: Denise Nascimento/IPAM

Entre os municípios de Aveiro e Itaituba, na região da BR-163, foi construída a sede da Rede de Comercialização Solidária do Tapajós, que conta com estrutura para a distribuição de produtos, com a participação de 50 famílias. A Rede tem se mostrado excelente estratégia para o fortalecimento da agricultura familiar, gerando renda e trabalho para as famílias que vivem no campo e disponibilizando uma diversidade de produtos de origem vegetal e animal, agregando outros parceiros da sociedade civil. As comunidades passaram a contar também com um caminhão para o transporte dos produtos.

“O convênio permitiu a consolidação de diferentes modelos de negócios sustentáveis para a agricultura familiar na Amazônia. Os produtores puderam profissionalizar essas iniciativas, melhorar o ambiente de comercialização de seus produtos e diversificar a produção em suas áreas, o que contribui para a segurança alimentar e também para o aumento da renda das famílias”, declara Maria Lucimar Souza, diretora-adjunta de Desenvolvimento Territorial do IPAM.

Capacitação e resultados

Todas as ações implementadas por intermédio do Convênio foram precedidas da capacitação das famílias em sistemas produtivos, gestão das propriedades e dos empreendimentos e elaboração de planos de gestão, voltados para o atendimento à demanda dos comércios regionais, além de apoio à logística de transporte dos produtos. Uma planilha também foi desenvolvida para registro e acompanhamento dos custos e dos lucros dos produtores.

Planos de gestão da Feira, em Pacajá, e da Rede, em Itaituba, foram elaborados para definir as estratégias de comercialização, administração dos espaços e para garantir a sustentabilidade dos empreendimentos, tendo sido discutidos e aprovados em consenso pelas comunidades, parceiros do Projeto e equipes do IPAM e Eletronorte.

Também em Aveiro, no Assentamento Cristalino II, houve a construção de um infocentro em regime de mutirão por parte da comunidade, como contrapartida ao Projeto. Por meio do Convênio, foram adquiridos computadores e feita a instalação de uma antena, além da contratação de uma empresa prestadora de serviço de internet.

Infocentro no Assentamento Cristalino II — Foto: Denise Nascimento/IPAM
Infocentro no Assentamento Cristalino II — Foto: Denise Nascimento/IPAM

“O investimento socioambiental feito pela Eletronorte por meio do Projeto Negócios Familiares Sustentáveis impulsiona o desenvolvimento das comunidades beneficiadas. Os resultados alcançados são uma evidência material de atendimento aos critérios da Dimensão Social do ISE/Bovespa, além de atender aos compromissos da Agenda 2030 pelo alinhamento com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODSs, priorizados pela Empresa”, diz Rosana Brandão, gerente do Departamento de Ações Socioambientais da Eletronorte.

Já na região do Baixo Amazonas, no município de Santarém, foram construídas quatro estruturas de beneficiamento e armazenamento de produtos em Áreas dos Projetos de Assentamento Agroextrativistas (PAEs) de várzea. Essas estruturas estão beneficiando e possibilitando a geração de renda para 200 famílias.

O Convênio também contemplou a construção e implantação de quatro infocentros nas comunidades dos PAEs em Santarém, possibilitando o acesso às tecnologias da informação e a melhoria da qualidade de vida que a inclusão digital proporciona.

“No momento da concepção do Projeto, a Eletronorte teve a preocupação de garantir a assistência técnica às famílias, o repasse de conhecimento em sistemas produtivos e a gestão das propriedades e dos empreendimentos. Durante as visitas, percebemos a alegria das pessoas por conquistarem mais autonomia financeira e capacidade de gestão das suas produções”, relata Cynthia Chiarelli, que além de ter atuado no Projeto, é fiscal do Convênio.

Informações da Agência Eletronorte de notícias.

PUBLICADO EM:    IPAM AMAZÕNIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.