Embrapa anuncia parceria com Consórcio Interestadual da Amazônia Legal

O presidente da Embrapa, Celso Moretti, anunciou nesta semana um plano de trabalho conjunto entre a empresa e o Consórcio Interestadual da Amazônia Legal para desenvolvimento de tecnologias que garantam o desenvolvimento sustentável da Região Amazônica.

O Fórum ocorreu nos dias 22 a 24 dentro da Agrolab Amazônia, alternando programações abertas com reuniões setoriais. Foto: EMBRAPA

O anúncio foi feito na última terça-feira (22), durante a abertura do 21° Fórum de Governadores da Amazônia Legal, realizado dentro da programação do Conecta Sebrae Agrolab Amazônia.

O plano de trabalho, que terá a duração de seis meses, é o primeiro resultado das articulações da Gerência de Relações Institucionais e Governamentais (GRIG/SIRE) com os chefes das unidades descentralizadas no âmbito do Fórum de Governadores. Terá como objetivo implementar projetos de cooperação técnica, pesquisa e inovação, para o desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal, com foco no planejamento do uso das terras e na bioeconomia. Um protocolo de intenções deverá ser assinado nas próximas semanas entre as duas instituições para oficializar a parceria.

“Partilhamos o interesse comum do desenvolvimento sustentável, da inovação da agropecuária e do setor florestal na região amazônica, considerando o valor da floresta em pé. Ciência e Tecnologia podem modificar a história de um país. E garantimos que existem grandes possibilidades para o desenvolvimento de soluções sustentáveis, de produtos, tecnologias e serviços ecológicos e ecossistêmicos na Amazônia, para diferentes usos, quer seja na alimentação, na medicina, na cosmética, no ecoturismo, no agroturismo e em outros setores. Não tenho dúvidas que essa parceria vai fortalecer e ampliar o uso das tecnologias disponíveis nos nossos centros de pesquisas”, afirmou o presidente da Embrapa.

Moretti ainda defendeu que o Brasil, principalmente depois do estabelecimento do Código Florestal, é um dos países que mais preservam o seu meio ambiente. “Lógico que tem aqueles que estão à margem da lei e que obviamente precisam ser punidos e penalizados, mas temos uma das legislações mais restritivas do ponto de vista de expansão de novas áreas e de uso para a agricultura e pecuária, temos políticas públicas avançadas, como o Plano de Agricultura de Baixo Carbono, voltado para descarbonização e redução da emissão de gases de efeito estufa. Nós precisamos mostrar para o mundo que o Brasil está fazendo o seu trabalho e precisamos demonstrar isso com dados, com ciência”.

A Embrapa  está presente nos nove estados da Amazônia Legal há mais de 40 anos, com uma equipe de 1.223 colaboradores, sendo 337 pesquisadores distribuídos em nove Unidades: Embrapa Acre (Rio Branco-AC), Embrapa Agrossilvipastoril (Sinop-MT), Embrapa Amapá (Macapá-AP), Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus-AM), Embrapa Amazônia Oriental (Belém-PA), Embrapa Cocais (São Luís-MA), Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), Embrapa Rondônia (Porto Velho-RO) e Embrapa Roraima (Boa Vista-RR). Essas Unidades tem uma estrutura física disponível para o desenvolvimento de pesquisas com quase 90 laboratórios, contando com parceiros nacionais (universidades, órgãos de assistência técnica e setor privado) e internacionais, além dos outros centros de pesquisa da Embrapa distribuídos no país que também desenvolvem ações dentro do território amazônico.

A parceria com o Consórcio deverá fortalecer e ampliar o uso de tecnologias prontas para a transferência imediata e também definir a necessidade de pesquisas em novas áreas. Reuniões e seminários com representantes de ambas as instituições serão realizados, com a participação das Unidades da Embrapa da Amazônia Legal, do Consórcio e da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa, para que priorizem os temas mais importantes para a região. O plano de trabalho terá foco nos temas: bioeconomia e sistemas integrados, planejamento do uso da terra e ordenamento territorial e outros tópicos de mútuo interesse.

O encontro foi aberto pelo governador do Amapá, Waldez Góes, que é presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal. Os governadores e técnicos participaram de um painel que debateu sobre economia verde, inovação e agronegócio de baixas emissões. “Não há nenhuma dissonância entre as práticas desses governos com essa agenda da economia verde. Há um compromisso integral com o fortalecimento da governança territorial e ambiental, para garantir o avanço na regularização fundiária, no zoneamento ecológico-econômico, na tecnologia e infraestrutura”, destacou Waldez.

Fórum de Governadores da Amazônia Legal

O Fórum ocorreu nos dias 22 a 24 dentro da Agrolab Amazônia, alternando programações abertas com reuniões setoriais, dentro da plataforma digital disponibilizada através do site  www.agrolabamazonia.com e para acessar basta realizar um cadastro. Já no dia 29 de setembro acontecerá a assembleia geral do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal.

Agrolab Amazônia

A feira do agronegócio Conecta Sebrae Agrolab Amazônia, já se estabelece não apenas como o mais relevante evento 100% digital voltado ao agronegócio da Amazônia Legal, mas também pela expectativa de negócios que poderão ser gerados, uma vez que centenas de expositores poderão interagir com potenciais novos mercados do mundo inteiro.

Robinson Cipriano (Mtb 1727/88-DF)
Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas (Sire) 

Contatos para a imprensa

Telefone: (61) 3448-4285 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.