MPF recomenda que Funai e Dsei participem de comitê de acompanhamento da covid-19 no Acre

Realidade da saúde indígena exige atenção especial e coordenada de todos os órgãos

Banner retangular com fundo azul escuro. Em branco está escrito Recomendação
Arte: Ascom/PRAC

O Ministério Público Federal (MPF) enviou recomendação ao secretário de estado de saúde do Acre para que incorpore representantes dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dseis) do Alto Rio Purus e Alto Rio Juruá e das Coordenações Regionais da Funai Alto Purus e Alto Juruá ao centro de operações de emergência em Saúde Pública em nível estadual (Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 do estado do Acre).

O documento enviado pelo procurador da República Lucas Costa Almeida Dias se fundamenta em dados históricos que mostram a maior vulnerabilidade das populações indígenas às doenças virais respiratórias, o que exige medidas emergenciais a fim de evitar mais um genocídio, desta vez causado pelo coronavírus.

As populações indígenas em território acreano têm se esforçado para tomar medidas por conta própria, que não são suficientes para deter a contaminação das pessoas que vivem em aldeias, com modos de vidas particulares e tradicionais não previstos pelos planos de contingência elaborados para as populações urbanas, o que pode ser avaliado sob nova ótica com a participação de agentes de saúde e indigenistas que participam de maneira mais próxima do cotidiano nas aldeias.

O secretário de saúde deverá informar no prazo de sete dias se acata a recomendação, relatando as medidas tomadas para o cumprimento. Caso não acate, o MPF poderá tomar medidas cabíveis para a responsabilização do agente responsável.

Acesse a íntegra da recomendação clicando AQUI.

Assessoria de Comunicação MPF/AC
(68) 3214-1430 / 99238-7258
@mpf_ac

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.