ICMBio e Censipam buscam parceria para monitorar UCs

Censipam planeja a contratação de satélites com radar de abertura sintética para monitoramento da Amazônia.

Foto: Vinícius Gabriel/Censipam

Nesta terça-feira (21), o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Homero Cerqueira, junto com outros representantes do Instituto, conheceram o trabalho realizado pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), em Brasília (DF). O encontro teve como objetivo aperfeiçoar o monitoramento de áreas de conservação ambiental.

O diretor-geral do Censipam, José Hugo Volkmer, apresentou aos dirigentes do ICMBio os projetos estratégicos desenvolvidos para o monitoramento ambiental e territorial da Amazônia. Entre as ferramentas está o uso de satélites com radar de abertura sintética (SAR). Volkmer explicou que “a tecnologia SAR é capaz de fazer imagens do terreno mesmo com tempo nublado. Na Amazônia, que fica debaixo de nuvens a maior parte do ano, o satélite SAR é muito mais eficiente do que o ótico para captar o desmatamento”.

Ainda, o diretor-geral do Censipam informou que a intenção é adquirir uma constelação de satélites. “Estamos planejando a contratação de uma constelação de microssatélites SAR para aperfeiçoar o monitoramento da Amazônia e também de outras regiões do país. As imagens captadas estarão à disposição do ICMBio e de outros órgãos de proteção ambiental”.

Segundo o presidente do ICMBio, Homero Cerqueira, é preciso melhorar a fiscalização e a regularização fundiária da região. “O arco do desmatamento está cada vez mais próximo às áreas de conservação. Buscamos parcerias, porque sozinho é muito difícil proteger uma área tão grande”, afirmou o presidente do ICMBio.

Nos próximos dias serão realizadas reuniões técnicas para detalhamento da cooperação entre as instituições em ações de combate a crimes na Amazônia.

*Com informações da Ascom/Censipam

FONTE: ICMBio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.