Pará – Parceria reúne empreendedores e indústria da bioeconomia

Organização Social BioTec-Amazônia e Sebrae Pará realizam evento voltado para a indústria e empreendedorismo paraense.

O evento Oportunidades de Negócios em Bioeconomia Pará, que aconteceu na sexta – feira, 4, pode apresentar o conceito de Cosmovisão para empreendedores paraenses . O encontro foi uma realização da Organização Social BioTec-Amazônia em parceria com o Sebrae, Aura Ideias e Instituto My Amazon. Foi um dia inteiro de debates com assuntos da política de desenvolvimento do estado, o papel do Sebrae como agente de desenvolvimento econômico, embalagem como instrumento de agregação de valor e o papel da BioTec-Amazônia no desenvolvimento da bioeconomia.

Para o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia – SEDEME, Iran Lima, já “se começa a criar um modelo para o Pará e, principalmente, para a preservação da Amazônia, preservando as nossas florestas mas também mostrando resultados para a nossa população que aqui vive e quer uma resposta nossa o mais rápido possível, para a melhoria da qualidade do nosso povo e da nossa gente”. O secretário aproveitou para agradecer e parabenizar a Organização Social BioTec-Amazônia e o Sebrae Pará pelo esforço de realizar um evento como Oportunidades de Negócios.

O diretor-presidente da Organização Social BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, destacou que essa é uma parceria muito grande com diversos agentes tanto públicos como privados, envolvendo os atores do Pará. “O desafio nosso agora é termos essa vinda dos vários atores e protagonistas de toda a região amazônica. O Cosmovisão é uma iniciativa da BioTec-Amazônia com a Aura Ideias, mas a ideia de realizar esse evento surgiu no início de 2019 e o objetivo é convocar todos os atores empresarial, governamental e acadêmico para dar uma dimensão amazônica”, explicou.

O diretor-superintende do Sebrae Pará, Rubens Magno Jr, explicou que aposta na BioTec e no seu papel de transformação da produção local. “A ideia é que a partir de palestras sobre embalagem como instrumento de agregação de valor, ou o papel do Sebrae como agente de desenvolvimento econômico e as políticas de desenvolvimento em Bioeconomia no estado do Pará, se prepare a indústria e o empreendedor paraense para atuar no mercado nacional e internacional”, relatou. “O Sebrae está de portas abertas para esse desenvolvimento da produção local”.

Para José Luiz de Paula, o conceito do evento destaca essa ideia de união de diversos agentes com um só objetivo. “Cosmovisão é um conceito de trezentos e sessenta graus onde você coloca todo o conceito que envolve o pensamento 360°. E o que é esse pensamento 360°? Você não consegue desenvolvimento econômico se não tiver o Estado junto com os outros agentes. É ele que é a mola propulsora porque a vontade de fazer, a vontade de realizar, tem que nascer no Estado”, explica De Paula, que é designer olfativo, criador de perfumes e embalagens de perfumes da Aura Ideias.

Ao final do evento foi firmado Acordo de Cooperação entre Organização Social BioTec-Amazônia e Orolab, empresa especializada em design de conceito. Assinou o documento o Diretor-Presidente da BioTec, professor José Seixas Lourenço e o Sócio Fundados da Orolab, Raoni Cusma de Paula. Como testemunhas, assinaram Iran Lima, titular da Sedeme e Paulo Renato Pereira do Carmo, Presidente da Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares dos Caetes.

O encontro teve apoio de órgãos do Estado, como a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia – SEDEME; a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – SECTET e também contou com a participação de membros da Organização Social BioTec-Amazônia, diretores e equipe técnica, além de empreendedores e investidores em bionegócios do Estado do Pará.

Cosmovisão – José Luiz de Paula explica que o Cosmovisão é um sistema com muitos agentes e que juntos são capazes de gerar desenvolvimento econômico em um curto espaço de tempo. “Então, a cosmovisão vai reunir, no mesmo espaço, quatro agentes que são capazes acelerar o desenvolvimento. A Cosmovisão vai acelerar o desenvolvimento e essa aceleração do desenvolvimento vai fazer escola. É o que vai criar jurisprudência, para ser replicado em outros estados amazônicos”.

 

Os agentes, explica, são universidades, as forças de pesquisa, todas as pessoas que trabalham para a ciência, as forças produtivas e industriais. “Eles são capazes de pegar esse trabalho das universidades e dos centros de pesquisa, transformar em produto. Mas é necessário um quarto agente que são os agentes comerciais, que vão pegar esse produto e fazer toda a distribuição no mundo por diversos canais. Não importa se atacado, varejo, porta a porta, vendas online, mas se não tiver esses quatro agentes, não existe desenvolvimento econômico”.

Saiba mais: http://biotecamazonia.com.br/parceria-reune-empreendedores-e-industria-da-bioeconomia/

BioTec-Amazônia destaca a importância da bioeconomia na biotecnologia industrial  para um grupo de empresários na Fiepa. O encontro é uma oportunidade de diálogo para o crescimento do Pará.

O Diretor-Presidente da Organização Social BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, participou na quarta, 2, de programação no Sistema Fiepa para apresentar oportunidades de investimentos no Estado do Pará. Essa é uma oportunidade da BioTec mostrar a importância da Bioeconomia como instrumento objetivo de geração de emprego e renda na região, sendo o mecanismo eficaz para a manutenção da floresta em pé.

Na ocasião, participaram da programação, José Maria da Costa Mendonça, do Conselho Temático de Infraestrutura da Fiepa – Coinfra; Carlos Augusto de Paiva Ledo, Secretário Adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia – Sedeme e o Presidente da Codec, Luftala Bitar. Uma série de apresentações esclareceu, por exemplo, sobre a política e o passo a passo do processo de concessão de incentivos fiscais; oportunidades de agregação de valor aos produtos locais; linhas de financiamento do BanPará, Banco da Amazônia e do FINEP.

O diretor-presidente da Organização Social BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, destacou a importância da bioeconomia na Biotecnologia Industrial, responsável, dentre outros, pelo desenvolvimento de biocombustíveis, químicos de fontes renováveis e bioplásticos. “Estima-se que, em 2030, o mercado global referente ao uso dessas tecnologias alcance um volume de 300 bilhões de Euros”, destacou.

O presidente da Codec, Lutfala Bitar, destacou o trabalho que vem sendo feito para recuperar os Distritos Industriais do Estado visando, com parcerias, o desenvolvimento do setor produtivo local. “Estamos trabalhando filme nos distritos industriais, que tem uma série de problemas. Há muitas áreas inativas que estamos tentando transformar em áreas ativas. De tal maneira que o Pará tenha uma ação industrial que venha a produzir o desenvolvimento do nosso estado. Para isso, penso que a SUDAM, o Banco da Amazônia e o FNO podem atuar como nossas agências de Desenvolvimento. Nós não podemos continuar com a participação de apenas 2%, 3% do PIB nacional com essa riqueza toda que temos. Alguma coisa precisa ser feita”, diz Bitar.

 

O diretor da Sedeme, Danilo Souza, apresentou dados sobre a política de Incentivos Fiscais do Pará e detalhou critérios específicos para concessão do benefício às empresas, como agregação de valor, verticalização, empregos diretos, inovação, sustentabilidade e compras em território paraense. Danilo Souza informou que os incentivos fiscais são instrumentos pontuais da estratégia de desenvolvimento econômico do Estado, cujo objetivo maior é colaborar para que o empresário obtenha mais competitividade. “Nós consideramos diversas modalidades para concessão do benefício, e já temos, inclusive, incentivos para empresas do setor de embalagens”, afirmou.

 

Cosmovisão – Um dos pontos do encontro na Fiepa é a aproximação da BioTec-Amazônia com os principais representantes dos setores produtivos. Uma oportunidade de diálogo para o crescimento do Pará. José Luiz de Paula, designer da Aura Ideias, em sua palestra, explicou o conceito Cosmovisão. “Cosmovisão é um conceito de trezentos e sessenta graus onde você coloca todo o conceito que envolve o pensamento 360°. Você não consegue desenvolvimento econômico se não tiver o Estado junto com os outros agentes”, explicou.

 

Também realizaram palestras os representantes do Banco do Estado do Pará (Banpará); Banco da Amazônia e Finep, instituição financiadora de estudos e projetos vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Ao final das palestras foi realizado o lançamento do evento Cosmovisão 2020, que visa preparar a indústria e o empreendedor paraense para atuarem no mercado nacional e internacional com relevância tecnológica, design e indicativos claros de boas práticas de produção e sustentabilidade.

BioTec- A BioTec-Amazônia é uma associação privada constituída em 2016 e qualificada pelo Governo do Estado do Pará como Organização Social em 2017 para coordenar a execução do Programa Paraense de Incentivo ao Uso Sustentável da Biodiversidade Amazônica (BIOPARÁ).

 

O trabalho dessa associação é atuar como elo entre as demandas empresariais e o conhecimento técnico-científico presente nas instituições de ensino e pesquisa, visando, assim, gerar negócios relacionados à biodiversidade amazônica, agregar valor às cadeias produtivas e promover o desenvolvimento sustentável.

 

Silvia de Souza Leão
Assessora de Comunicação BioTec-Amazônia

(91) 99271-5573 (WhatsApp)

 

Um comentário em “Pará – Parceria reúne empreendedores e indústria da bioeconomia”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.