Pesquisadores desenvolvem métodos para evitar que doença de Chagas seja transmitida pelo açaí

Além de garantir a retirada do protozoário que transmite a doença da planta antes de ser comercializada, métodos desenvolvidos também são mais acessíveis à pequenos produtores rurais.

O Tarde Nacional – Amazônia desta quarta-feira (07), abordou uma pesquisa feita pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), que desenvolveu métodos que podem tirar o açaí do ciclo de transmissão da doença de chagas, devido aos muitos surtos  da doença ocorridos no estado do Amazônas nos últimos anos.

Quem esclareceu mais sobre tal pesquisa foi a professora do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Bioprocessos da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Vanete Thomaz Soccol.

Ouça a entrevista completa no player abaixo:

Além descrever como os estudos foram feitos, a professora explicou que a planta do açaí é atrativa para o Barbeiro, inseto que transmite a doença, o que explica a contaminação frequente. Ao entrar em contato com a planta, o inseto pode acabar sendo moído junto ao fruto e comercializado livremente.

“Buscando evitar novos surtos originados por essa comercialização, desenvolvemos uma metodologia que verifica se o parasita está presente no fruto e descobrimos que processos como o de pasteurização podem elimina-lo completamente do produto.” – destacou Vanete.

Ela acrescentou ainda que todos os métodos tem custos acessíveis e podem utilizados inclusive por pequenos produtores rurais. Quem tiver interesse pode ter acesso a pesquisa completa entrando em contato com a universidade.

O programa Tarde Nacional – Amazônia vai ao ar de segunda a sexta-feira, de 13h às 16h, na Rádio Nacional da Amazônia. A apresentação é de Juliana Maya.

FONTE: EBC – RÁDIO NACIONAL

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.