Navio Hidrográfico “Sirius” inicia coleta de dados na Barra Norte do Rio Amazonas

Após suspender do Rio de Janeiro no dia 25 de junho, o Navio Hidrográfico “Sirius” iniciou, no dia 15 de julho, na Foz da Barra Norte do Rio Amazonas, a 60 milhas da região litorânea do estado do Amapá, a coleta de dados maregráficos na região. A análise maregráfica é estabelecida pelo estudo estatístico e harmônico de observação da maré em conjunto com o Navio Oceanográfico “Antares”.

O NHi “Sirius” e o NOc “Antares” em coleta de dados maregráficos, operando conjuntamente na Barra Norte do Rio Amazonas

Após suspender do Rio de Janeiro no dia 25 de junho, o Navio Hidrográfico “Sirius” iniciou, no dia 15 de julho, na Foz da Barra Norte do Rio Amazonas, a 60 milhas da região litorânea do estado do Amapá, a coleta de dados maregráficos na região. A análise maregráfica é estabelecida pelo estudo estatístico e harmônico de observação da maré em conjunto com o Navio Oceanográfico “Antares”.

Durante toda a comissão Barra Norte, haverá rendições entre o Navio Hidrográfico “Sirius” e o Navio Oceanográfico “Antares”, dando continuidade a coleta de dados maregráficos. O término da referida coleta acontecerá em 25 de agosto.

O objetivo deste levantamento, envolvendo os dois navios, é a melhor previsão do fenômeno de maré no chamado “quebra-mola do Amazonas”, uma região na foz do Rio Amazonas com profundidades inferiores a dez metros. Entretanto, a correta e precisa delimitação do efeito de maré nesta área permitirá a operação de navios mercantes de maior calado em horários específicos. Tal condição implicará em maiores volumes de transporte de carga em importantes portos da bacia amazônica, como Manaus-AM, Santarém-PA e Santana-AP, incrementando assim a atividade econômica daquela importante região.

A presente Comissão complementará os mais de 120 levantamentos hidrográficos já realizados pelo “Sirius”, no Brasil e no exterior, contribuindo, assim, para a segurança da navegação em nossa Amazônia Azul.

 

A Carta Náutica 200 da Barra Norte do Rio Amazonas. Em vermelho, o quebra-mola do Amazonas
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*