Governo vai contratar mais de mil brigadistas

Eles vão atuar na prevenção e combate ao fogo em unidades de conservação do ICMBio, órgão do MMA. Contratos variam de 6 meses a dois anos. Veja como participar do processo seletivo.

Brigadistas fazem treinamento no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros – Crédito: Fernando Tatagiba/ICMBio

Como parte da preparação para a temporada de incêndios florestais, que geralmente começa no meio do ano, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), acaba de lançar 98 editais para a contratação de brigadistas.

Ao todo, serão contratados 1.169 brigadistas. Eles vão ser distribuídos entre 88 unidades de conservação (UCs) por períodos que variam de 6 meses a dois anos. Clique aqui para ter acesso aos editais.

Para viabilizar a contratação, o ICMBio está destinando R$ 18 milhões, fora o que já foi investido na aquisição de equipamentos de proteção individual (bombas costais, motobombas, mangueiras e turbossopros).

A seleção será feita em duas etapas: a primeira consistirá numa avaliação física e habilidades do candidato com o uso de ferramentas agrícolas e terá caráter eliminatório; na segunda, será ministrado um curso de 40 horas para os pretendentes às vagas de chefe de esquadrão e de brigadistas e determinará a classificação final dos participantes.

O Teste de Aptidão Física (TAF) prevê caminhada com a bomba costal e tem o objetivo de avaliar a resistência muscular, aeróbica e capacidade cardiorrespiratória do participante. O candidato deve percorrer distância de 2,4 km com a bomba costal cheia d’água, pesando cerca de 20 quilos em, no máximo, 30 minutos. Quem não cumprir esse tempo será desclassificado automaticamente.

Já o teste de uso de ferramentas (THUFA) avalia o uso da enxada, para capinar e rastelar uma área de 3×5 metros em, no máximo, 20 minutos, sendo avaliados a qualidade da capina e a obediência aos critérios de lançamento do material.

NOVA LEI

A Lei 13.668, de 28 de maio de 2018, que define novas regras para a aplicação de recursos da compensação ambiental, prevê a contratação de pessoal para emergências ambientais no ICMBio e Ibama. Além de ampliar a duração dos contratos, diversifica as atividades a serem desenvolvidas.

A nova regra atualizou dispositivo da antiga Lei nº 7.957, de 1989, e fortaleceu a gestão das unidades de conservação federais, ao contribuir para a geração de emprego e renda e ao dar prioridade à contratação de pessoas da comunidade, que vivem perto das UCs.

De acordo com a nova lei, podem ser contratados pessoas para atividades de prevenção, controle e combate de incêndios; apoio em ações de conservação, manejo e pesquisa de espécies ameaçadas; apoio a projetos de preservação, uso sustentável, proteção e apoio operacional à gestão de unidades; apoio à identificação à demarcação e consolidação territorial; e apoio às ações de uso sustentável.

O tempo de duração dos contratos de brigadistas passa de 6 meses para 2 anos, prorrogável por mais um ano. Desse modo, com um período mais longo de trabalho, os brigadistas poderão desenvolver atividades no combate ao fogo por mais tempo e reforçar as medidas de prevenção nos períodos que antecedem a temporada de fogo.

Ascom MMA – (61) 2028-1227 – com informações da Comunicação ICMBio – (61) 2028-9280

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.