Flona de Tefé investe em sinalização de trilhas

Padrão adotado pela Flona segue as determinações do Manual de Sinalização de Trilhas do ICMBio

Sinalização utilizada nas trilhas da Flona de Tefé (Foto: Lucas Ramos)

A Floresta Nacional (Flona) de Tefé, no estado do Amazonas, completará 30 anos no mês de abril. Para marcar a data, uma de suas ações é a sinalização das trilhas de acordo com o Sistema Nacional de Sinalização de Trilha em Unidades de Conservação. Com uma área de 8.651 km², abrangendo cinco municípios, há quatro anos a unidade passou a desenvolver iniciativas ligadas ao turismo.

As atividades turísticas na unidade envolvem o grupo de Turismo de Base Comunitária da Flona de Tefé, composto por seis comunidades (Bom Jesus, Bacuri, Ipapucu, São Francisco do Arraia, São Franscisco do Bauana e Tauary) e parceiros institucionais, como Instituto Mamirauá, Sebrae e Prefeitura de Tefé.

O fluxo de visitação vem crescendo depois de novas parcerias comerciais e captação de recursos financeiros nos últimos dois anos. Organizadas em um sistema de rodízio, as seis comunidades desenvolvem atividades de ecoturismo, como trilha interpretativa na floresta e visita à comunidade. Cada visitante também contribui para um fundo comunitário que será revertido em beneficio coletivo. Toda a gestão da atividade é feita pelos comunitários e as decisões são tomadas em reuniões periódicas com todos os integrantes.

MANUAL DE SINALIZAÇÃO

Nas reuniões realizadas pelos comunitários foi decido o uso da sigla “FLONA TFF” em forma de pegada para sinalizar as trilhas da Flona de Tefé. Também devem fazer parte da sinalização placas de entrada de trilhas e orientação de destino. As placas de entrada ficarão no início de cada trecho e terão informações gerais da trilha a ser percorrida. Já a placa de destino é responsável por informar pontos importantes do percurso, como mirantes ou grandes árvores.

Os comunitários que participaram das oficinas ficaram responsáveis pela aplicação da técnica nas trilhas. Assim, a Flona de Tefé é mais uma unidade de conservação brasileira a utilizar esse método de sinalização, que facilita e dá segurança para todos os visitantes. Seguindo o Manual de Sinalização de Trilhas do ICMBio, analistas do próprio Instituto também participaram das oficinas de sinalização, garantindo o padrão usado em outras unidades geridas pelo órgão.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*