Extração de madeira no Mato Grosso será acompanhada via satélite

O Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) assinaram Termo de Cooperação Técnica, na última semana, na sede da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt). O Termo prevê a criação da Sala de Situação do Monitoramento da Exploração Florestal, possibilitando que os analistas da Sema possam executar o monitoramento da colheita da madeira em áreas de Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS), por meio de sensoriamento remoto. O acordo tem vigência por quatro anos e poderá ser prorrogado.         

Ao Cipem caberá a responsabilidade de prestar apoio técnico, logístico e tecnológico à Sema, além de fornecer todas as informações solicitadas na forma e prazos acordados. A secretaria, por sua vez, além de disponibilizar analistas para executar o monitoramento, também irá fornecer informações sobre as áreas monitoradas, elaborar e publicar relatórios periódicos sobre as áreas monitoradas da exploração florestal em áreas com PMFSs, assim como as informações sobre as áreas monitoradas.

“O convênio firmado com a Sema nos proporciona a transparência da atividade de base florestal. É uma oportunidade para demostrar que nos organizamos e conseguimos separar os bons empresários daqueles com algum desvio de conduta”, destacou o presidente do Cipem, Geraldo Bento, durante a assinatura do convênio.

O secretário estadual de Meio Ambiente, José Lacerda, destacou a importância econômica da atividade madeireira e disse que a parceria beneficia as duas entidades. “O segmento florestal é muito importante para Mato Grosso, tanto como atividade econômica, gerando emprego, renda e tributos para o Estado, quanto para o meio ambiente, realizando um programa integrado com sustentabilidade buscando a transparência da sua atividade. Provando seu amadurecimento e comprometimento com a conservação ambiental quando firma um convênio com a Secretaria de Meio Ambiente para fazer monitoramento e fiscalização da sua atividade – Manejo Florestal Sustentável”.

“Na prática a Sema terá uma sala de situação equipada com tecnologia via satélite para monitorar toda a colheita da madeira em tempo real, a exemplo de um Projeto de Manejo aprovado, poderemos monitorar se estão praticando de forma correta, caso haja algum indicativo de ilegalidade faremos a fiscalização in loco para certificar se houve o ocorrido”, explicou Lacerda.

Já o presidente da Fiemt, Jandir Milan, avaliou que a atuação do setor florestal melhorou nos últimos anos e que a transparência na atividade é fundamental. Milan aproveitou para defender a criação de uma secretaria específica do setor no governo. “Mato Grosso tem um potencial florestal enorme que não é aproveitado adequadamente. Para isso, é necessário a criação de uma secretária que cuide do negócio florestal, com objetivo de promover estudos para o desenvolvimento da cadeia produtiva estadual de florestas e incentivar o uso da madeira. A exemplo da Finlândia, o maior PIB (Produto Interno Bruto) é oriundo da produção madeireira e no Brasil essa matéria-prima continua sendo pouco utilizada” defendeu Milan.

Fonte: Painel Florestal

VER MAIS EM:   http://amazonia.org.br/2014/07/extra%c3%a7%c3%a3o-de-madeira-no-mato-grosso-ser%c3%a1-acompanhada-via-sat%c3%a9lite/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.