Orquídeas nativas são apreendidas pelo Ibama em Mato Grosso do Sul

8 de julho de 2011  - Tadeu Ribas

Agentes ambientais do Ibama apreenderam 13 espécimes de orquídeas e uma bromélia que estavam sendo enviadas ilegalmente numa caixa através dos Correios, de Caracol no Mato Grosso do Sul, para Alfenas em Minas Gerais.

As orquídeas e a bromélia foram retiradas ilegalmente da natureza e estavam sendo enviadas sem  Documento de Origem Florestal (DOF), de porte obrigatório para o transporte de todo e qualquer produto de origem florestal. A fiscalização vai multar o destinatário do produto porque o remetente não foi identificado.

A multa é de R$ 300 por cada exemplar, o que totaliza R$ 4,2 mil. De acordo com a analista ambiental do Ibama em Mato Grosso do Sul, Joanice Battilani, que fez o laudo da apreensão, foram identificadas no lote sete espécies e todas essas matrizes são originárias de Mato Grosso do Sul. O Brasil possui 3.500 espécies de orquídeas identificadas. Todas estão listadas no Anexo II da CITIES, que é a Convenção Internacional das Espécies Ameaçadas de Extinção da Flora e Fauna,da qual o Brasil é signatário.

Esta é a quarta apreensão realizada pelo Ibama em Mato Grosso do Sul nos últimos dois meses e todas feitas através de remessas via Correios. Assim que chegam à unidade central dos Correios em Campo Grande, o escritório local aciona o Ibama para efetuar a apreensão das plantas.

As quatro apreensões totalizam 56 mudas de orquídeas de 23 espécies, principalmente as do gênero Catleya, como a Catleya walkiriana e a  Catleya nobilior, de ocorrência natural no cerrado. As multas das quatro apreensões somam R$16,8 mil.

Todas as orquídeas apreendidas estão sob a guarda e fiança da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama em Campo Grande que deverá doá-las à Universidade Federal assim que os processos pelos crimes ambientais cometidos forem concluídos.

Orquídeas apreendidas

Vistoria

Esta semana analistas ambientais do Ibama também vistoriaram o orquidário Gnomo em Campo Grande. Este é o único orquidário autorizado pelo Ibama em Mato Grosso do Sul a exportar orquídeas cultivadas. O viveiro possui 70 mil mudas em produção e reproduz sete espécies ameaçadas de extinção.

Para os analistas do Ibama, o trabalho autorizado e dentro da legalidade contribui para diminuir a pressão sobre a nossa rica flora nativa e diminui os riscos de biopirataria e do envio ilegal de material genético de plantas e animais brasileiros para o exterior.

Fonte: Ibama


Palavras-chave: , , , , ,

12 Respostas para “Orquídeas nativas são apreendidas pelo Ibama em Mato Grosso do Sul”


  1. \kenya Disse:

    Eu penso que essas orquídeas retiradas da natureza é um crime que merecia detenção. E mais importante ainda e devolve-las a natureza. Replanta-las, pois é lá q devem ficar. O que essa Universidade faz com essas mudas? Devolvem pra natureza? curiosidade.


  2. andréia Disse:

    concordo com kenya, essas plantas devem voltar para a natureza, caso contrario, não adintou em nada fazer as apreensões


  3. Vinicius Gomes Disse:

    Concordo plenamente com as leis e serviços do Ibama. Mas gostaria de ressalta que quando e apreendidas essa planta muitas das vezes seria melhor ter deixado seguir seu destino, porque ao ser apreendidas demora muito para ser replantadas ou enviada para um viveiro e muita delas perde sua vida, e seguindo o destino chegaria nas mãos de pessoas que gostão mesmo de plantas e talvez seria bem mais cuidadas que nesses viveiros. E quanto as licencias para cultivo de plantas nativas deveria ser mais acessível para que essas pessoas pudesse ser legalizadas.


  4. Sidney Disse:

    TUDO BEM CONCORDO Q NÃO PODE TIRAR, MAS JA VI TANTO DESMATAMENTO, TANTAS ORQUÍDEAS NO CHÃO, AINDA BOTAM FOGO EM TUDO,


  5. LOURDES CHANAN Disse:

    PENSO COMO TDS Q COMENTARAM AI….JA VI MONTES DE ORQ NATIVAS MORREREM E NINGUÉM FAZER NADA QUANDO DERRUBAM AS PEROBAS EM ESPECIAL,NESSE CASO ESSAS PLANTAS PODERIAM SER DOADAS PRA QUEM AMA ESSAS LINDAS!!!!


  6. javier correa Disse:

    lo que asen esta muy bueno,pero yo pregunto cuando hay reforestacion quien controla las orquideas que se pierden,x que no los dan a los que las cultivan para que no se pierdan.


  7. javier correa Disse:

    lo que asen esta muy buen,pero en brasil hay viveros que lo venden,tienen permiso,x que estan cerca de las ruas


  8. Josué Disse:

    Antes de começaram os julgamentos sempre é bom verificar direito o que está sendo informado. Numa olhada de segundos já vi um erro catastrófico na reportagem. Parte dessas plantas não são nativas nem do Brasil, quanto mais do Mato Grosso do Sul. Há três mudas de Dendrobium, planta comercial asiática e uma Ripsalis, que não é orquídea e existe pendurada até nas árvores dentro da cidade de São Paulo. Ainda uma muda de Nobilior, um Catasetum, uma Miltônia (essas três sim nativas) uma Tilândsia muito comum e nenhuma walkeriana que também não é nativa do Mato Grosso do Sul e sim de Goiás, Minas, Mato Grosso e parte de Sçao Paulo. Essa apreensão é um exagero pois muito provavelmente trata-se de alguém que deu mudas do seu jardim a um amigo e as enviou pelos correios. Enquanto as autoridades correm atrás dessas bobagens, milhares de hectares são destruídos levando consigo inúmeras espécies, leis são aprovadas para fazendeiros mal intencionados (não são todos) poderem desmatar matas ciliares onde vivem outras inúmeras espécies, áreas enormes de mata são queimadas criminosamente para formar pastos… E mais um monte de coisas… Mas vamos sim pegar as plantinhas de pessoas que só queriam ver flores, enquanto tanta gente por aí fica passando seu tempo tentando arrumar um modo de sonegar impostos, furtar pessoas de bem, cometer uma série incalculável de crimes… Realmente os vilões da nossa sociedade são as pessoas que cultivam flores. Vamos multar sim. Isso vai resolver o todo o problema, e esse dinheiro vai ser usado de uma forma muito justa, com certeza, nesse nosso país que prima pela justiça e pelo cumprimento da lei.
    O mínimo que se pode esperar dos órgãos responsáveis por assuntos como esse é que tenham gente realmente capacitada para avaliar se uma orquídea é nativa do Brasil ou não, ou mesmo saber a diferença entre uma orquídea e uma bromélia, ou Tilândsia… Deve sim ter gente capacitada, mas não foi nesse caso. A matéria é de 2011, quem sabe até agora já tenham formado melhor o pessoal!


  9. adriano Disse:

    Apesar de ser biólogo…infelizmente não concordo com esse tipo de apreensão, pois já vi muita coisa errada dentro desse órgão que não cuida nem de seu próprio orquidário em Brasilia – DF.
    Prefiro que retire todas as planta da natureza do que larga-las a sua própria sorte. Onde uma simples autorização que muitas vezes parte desse órgão é emitida para desmatamento total de uma área…a quem eles querem enganar?


  10. kalene Disse:

    concordo com josue tem gente que faz tempestade em copo dagua quando realmente tem coisas importantes passando e eles nem ve como por exemplo fazendeiro destruindo florestas para formar pastos deixando tantos animais silvestres sem seu habitat natural acho que deveria ser aplicada uma multa sim para quem tira orquideas da natureza mas deveriam deixar a muda seguir para que alguem a plante mais mal faz quem deixa elas apriendidas condenando-as a morte.


  11. luiz carlos silva dos santos Disse:

    estudo biologia especialidade fecundaçao muitas orquideas e bromelias morrein nessas obras do governo se pegar uma e preso aqui na serra de PETROPOLIS a gente ver bromelia e orquidea pela estrada tem que mudar esta lei que protege so quem desmata


  12. Ednaldo Luis da Silva Disse:

    Onde moramos… Casas apartamentos …..Andamos de carro
    em avenidas…. nos alimentamos de vegetais, legumes, grão,
    carne de aminais. Para que isso aconteça, todos usufruem da
    destruição da NATUREZA.


    * A equipe do ECOAMAZÔNIA esclarece que o conteúdo e opiniões expressas nos COMENTÁRIOS são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião deste ‘site”.


Deixe um comentário

*