Infectologista comenta doença contraída em caça ao tatu

Especialista ressalta que não existe transmissão do tatu para o ser humano e nem de pessoa para pessoa, reforçando que a caça ao animal é ilegal no Brasil

Foto postada em: EBC Rádios

O Tarde Nacional – Amazônia falou sobre o caso de um adolescente que faleceu no Piauí vítima de uma infecção provocada por fungos que tem sido chamada pela mídia de “doença do tatu”.

O entrevistado foi o médico infectologista e professor no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, Ricardo de Souza Cavalcante.

Ele explicou que o responsável pela doença é o fungo Coccidióides Posadasi, que costuma se desenvolver em solos áridos, principalmente na região nordeste do Brasil.

O contágio se dá quando, próximo às tocas dos tatus, o solo acaba mais remexido e o vírus se dispersa no ar, propiciando a inalação.

O infectologista ressalta que não existe transmissão do tatu para o ser humano e nem de pessoa para pessoa, reforçando, inclusive, que a caça ao animal é ilegal no Brasil.

Segundo o médico, em pessoas com menor defesa imunológica, a doença pode ser fatal por ocasionar pneumonia e inflamação em outros órgãos.

Clique no player acima para ouvir a entrevista na íntegra.

Tarde Nacional – Amazônia vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 15h às 17h, na Rádio Nacional da Amazônia. A apresentação é de Juliana Maya.

FONTE: EBC RÁDIOS – Infectologista comenta doença contraída em caça ao tatu | EBC Rádios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: