Projeto Amazônia Conectada vai expandir internet com 3 mil km de fibra ótica

Brasília (DF), 03/11/2020 – O Projeto Amazônia Conectada visa expandir a infraestrutura de comunicações e levar internet à região amazônica por meio de 3 mil quilômetros de redes óticas subfluviais nos leitos dos rios.

Trata-se de uma atividade interministerial, sob coordenação geral do Ministério da Defesa, com execução do Comando do Exército, e em parceria com ações dos Ministérios das Comunicações e da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O Exército Brasileiro atua diretamente na engenharia de implantação da infraestrutura para transmissão de dados em alta velocidade. Uma série de ações já foram concluídas e outras estão em andamento, até então três fases foram executadas. Os cabos, quando ativados também irão conectar Manaus a Tefé, por 690 quilômetros no leito do rio Solimões. Na extensão do Rio Negro foi concluído o trecho de Manaus a Novo Airão (AM).

O Projeto Amazônia Conectada, desde o seu lançamento recebeu investimento de R$ 70 milhões em 1.200 quilômetros de cabos.

Neste ano, a instalação de mais 330 quilômetros de cabos conectando Novo Airão a Barcelos foi possível graças aos R$ 29,5 milhões recuperados pela Operação pela Lava-Jato. A próxima meta é conectar Manaus a São Gabriel da Cachoeira, todos municípios localizados no estado do Amazonas.

O projeto foi instituído pela Portaria Interministerial nº 586, de 22 de julho de 2015, no âmbito do Programa Nacional de Banda Larga – PNBL na região amazônica. Segundo o Exército, a fibra ótica subaquática também irá aprimorar a comunicação das forças militares que atuam na região, como a detecção de movimentos considerados anormais nas águas, permitindo a identificação de barcos suspeitos nos rios.

Por Viviane Oliveira
Fotos: Exército Brasileiro

Saiba mais:
Defesa contribui para a expansão das comunicações na Amazônia
Primeiro trecho do programa Amazônia Conectada será inaugurado em abril

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.